Entretenimento » Cultura e Lazer » Vila Bela da Santíssima Trindade volta a ser a capital de MT

VOLTA AO PASSADO

Redação 24 Horas News

Vila Bela da Santíssima Trindade volta a ser a capital de MT

A história da cidade está ligada intimamente com o surgimento do Estado

Vila Bela da Santíssima Trindade volta a ser a capital de MT A dança do Congo surgiu com a vinda de escravos - Foto por: José Medeiros/

O município de Vila Bela da Santíssima Trindade (540 km a Oeste de Cuiabá) volta a ser a capital de Mato Grosso neste domingo (19), dia em que se comemora 265 anos de sua criação, que ocorreu em 1752. O governador Pedro Taques e o secretário de Cultura, Leandro Carvalho, além de outras autoridades, participam das atividades programadas para esse dia especial.

As comemorações, no entanto, começam na sexta-feira (17) e se estendem até domingo com as tradicionais apresentações da dança do Congo e do Chorado, entre outras atrações culturais. A programação tem apoio do Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

Uma sessão conjunta entre a Assembleia Legislativa e a Câmara Municipal dá início à agenda em comemoração ao aniversário de Vila Bela, na sexta-feira (17), às 19h. No sábado (18) a comunidade poderá conferir uma exposição de telas de artistas locais e fotografias de José Medeiros no Palácio dos Capitães Generais, prédio histórico tombado pelo Estado, que passou por obras de manutenção e foi entregue à população vilabelense em 2016.

A partir das 19h30, em um cinema montado nos fundos das ruínas, serão exibidos documentários e curtas-metragens que retratam a cinematografia negra. Os shows acontecem a partir das 23h.

O domingo (19), dia de aniversário da cidade, começa com um cortejo do governador e autoridades acompanhados pelos dançarinos do Congo e do Chorado. Em seguida há um chá afro no Palácio dos Capitães Generais, missa na Igreja Matriz e desfile cívico, seguido da cerimônia de transferência da capital mato-grossense. O dia termina com exibição de filmes e apresentações culturais, entre elas as danças do Congo e do Chorado, no Espaço Cultural do município.

Tradição

Na dança do Congo, reis e embaixadores travam uma luta dramatizada em que dois reinados africanos disputam o poder. Os homens tocam os instrumentos e as mulheres representam as rainhas, que trajam vestidos longos e levam o estandarte com os santos de louvor: São Benedito e Nossa Senhora do Rosário.

Os personagens do reinado do Congo são o Rei, o Príncipe e o Secretário de Guerra; do reino adversário aparecem o Embaixador e soldados. A nobreza usa mantos, coroas e bastões coloridos e ornamentados com flores como instrumentos.

Em Mato Grosso, a dança surgiu com a vinda de escravos e manifesta a resistência dos negros que ficaram no município, mesmo com a transferência da Capital para Cuiabá.

A dança do Chorado também surgiu no período colonial e leva esse nome porque representa o choro dos negros escravos para que seus senhores perdoassem os castigos impostos aos transgressores. As mulheres dançam equilibrando garrafas de canjinjim na cabeça para pedir a liberdade aos seus familiares. O ritmo da música é afro, com marcações em palmas, mesa, banco ou tambor.

Vila Bela

A história da cidade está ligada intimamente com o surgimento do Estado de Mato Grosso. Vila Bela surgiu de um quilombo, no século XVIII, que cresceu, recebeu migrantes índios, bolivianos e brasileiros tornando-se núcleo multirracial com organização política. Vila Bela da Santíssima Trindade foi a primeira capital de Mato Grosso e teve o poder estadual instalado na cidade de 1748 a 1835. 

Fonte: GCom-MT
COMENTÁRIOS ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News