Esportes » Estudantes mato-grossenses conquistam medalhas em campeonato de taekwondo

INCENTIVANDO O ESPORTE

Redação 24 Horas News

Estudantes mato-grossenses conquistam medalhas em campeonato de taekwondo

Morador do bairro CPA III, o estudante chegou ao Rede Cidadã com nove anos de idade, incentivado pela mãe, e começou a aprender violão. “Até que um dia, eu me interessei pelo taekwondo e estou há cinco anos. Venho todos os dias e hoje eu até assumo as aulas”, disse

Estudantes mato-grossenses conquistam medalhas em campeonato de taekwondo

Alunos de taekwondo do programa social Rede Cidadã conquistaram 18 medalhas durante a 10º Copa América de Taekwondo, realizada em Arujá, São Paulo, entre os dias 10 e 12 de fevereiro. Entre os destaques mato-grossenses está Haslan de Oliveira Carvalho, de 14 anos, que conquistou a medalha de ouro no torneio.

Morador do bairro CPA III, o estudante chegou ao Rede Cidadã com nove anos de idade, incentivado pela mãe, e começou a aprender violão. “Até que um dia, eu me interessei pelo taekwondo e estou há cinco anos. Venho todos os dias e hoje eu até assumo as aulas”, disse.

Segundo Haslan, foi no projeto que ele aprendeu sobre ética, educação e começou a perceber mudanças na sua vida, tanto na escola, quanto em casa. “Eu era preguiçoso, não tinha educação e disciplina. Mas agora eu mudei. Ajudo a minha mãe em casa, tiro notas boas e meu comportamento mudou”, afirma.

O colega dele, Isaias Silva, chegou com 10 anos à Rede e hoje, aos 14, também é um campeão de taekwondo. “Minha mãe me trouxe para conhecer, eu gostei. Minha concentração mudou, antes eu ficava cansado, mas fui melhorando com o tempo”.

Um dos instrutores de taekwondo, o sub-tenente da Polícia Militar, Emilton Jorge da Silva, comenta que a filosofia das aulas não é lutar por lutar, mas aprender a compreender e a respeitar o outro. “Nossos alunos são de diversos bairros de Cuiabá, e muitos estão em situação de vulnerabilidade. Então, se não estão inseridos em uma atividade, podem ser atores ou vítimas de atos ilegais”, destacou.

Para o sub-tenente, a Rede Cidadã é um espaço onde a crianças e adolescentes têm o acesso à informação, rodas de conversas, vivência e outros tipos de instrução. “Estamos ensinando defesa pessoal para a vida”.

Os participantes do Rede Cidadã chegam ao local, quando não de forma espontânea, por indicação das escolas. Emilton ressalta que a parceria com a rede estadual de educação é essencial para promover a mudança na vida dos estudantes.

“Muitos chegam aqui com um comportamento antissocial, com históricos de mal comportamento com colegas e professores. O gratificante é que, em seguida, começamos a perceber a mudança no comportamento e valores, que é relatado pela própria escola”.

Rede Cidadã

O Rede Cidadã atende mais de 1,8 mil crianças e adolescentes, oferecendo atividades esportivas como futsal, taekwondo, basquete, capoeira, vôlei, futebol, xadrez e handebol. Também oferece opções de atividades artísticas como violão, teatro e pintura em tela. Além da capital, o programa é desenvolvido nos municípios de Várzea Grande, Nova Olímpia, Cáceres e Rondonópolis.

A realização do programa é resultado de uma soma de parcerias de órgãos do Estado, entre eles a Sesp, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros, Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), Conselho Comunitário de Segurança Pública (Conseg), Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc-MT), Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT) e demais parceiros. 

COMENTÁRIOS ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News