Esportes » Renan se diz tranquilo sobre caso com jornalista que atuou em MT

SEM MEDO. SERÁ?

IG

Renan se diz tranquilo sobre caso com jornalista que atuou em MT

Presidente do Senado é acusado de cometer os crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso; denúncia foi liberada para votação

Renan se diz tranquilo sobre caso com jornalista que atuou em MT

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta terça-feira (4) que todas as questões referentes à denúncia contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o caso com a jornalista Mônica Veloso, que atuou em seu início de carreira no jornalismo mato-grossense antes de se transferir para Brasília “já estão explicadas”. O senador mostrou-se confiante em ser inocentado por falta de provas.

“Eu não tenho nenhuma preocupação com relação a isso. Essa denúncia não envolve dinheiro público, as questões já estão todas explicadas, absolutamente explicadas. Eu que pedi a investigação, entreguei todos os meus sigilos, de modo que eu não tenho nenhuma preocupação com relação a isso, absolutamente nenhuma”, afirmou Renan Calheiros à imprensa.

Ontem, ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin liberou, para votação pelo plenário da Corte, a denúncia contra o presidente do Senado. Agora cabe à presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, determinar a data da análise da ação.

Segundo o inquérito que tramita no STF desde 2013, Renan usou o lobista de uma empreiteira para pagar pensão a uma filha que teve fora do casamento. O peemedebista também é acusado de ter adulterado documentos para justificar os pagamentos à mãe da criança, a jornalista Mônica Veloso.

Aos repórteres, o presidente do Senado lembrou que já foi inocentado em outros processos por falta de provas e disse acreditar que, desta vez, ocorrerá o mesmo. “Acho que vai acontecer com essa denúncia a mesma coisa que aconteceu com outra, em que fui absolvido por falta de provas. E serei absolvido em todas por falta de provas.”

Em fevereiro deste ano, Fachin já tinha pautado a ação para julgamento, mas, no mesmo mês, foi retirada da pauta depois que a defesa de Renan Calheiros apresentou um recurso alegando a existência de uma falha na tramitação do processo.

A ação foi, então, enviada à Procuradoria-Geral da República (PGR) para manifestação.

Renan é acusado de cometer os crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso. A denúncia tem como base um escândalo sob investigação desde 2007 e tramita em segredo de Justiça.

A PGR considerou que Renan recebeu propina da construtora Mendes Júnior para apresentar emendas que beneficiariam a empreiteira. Em troca, o peemedebista teria as despesas pessoais da jornalista Mônica Veloso, com quem mantinha relacionamento extraconjugal, pagas pela empresa.

Além do caso Mônica Veloso, Renan Calheiros também é alvo de outros oito inquéritos decorrentes de investigações da Operação Lava Jato.

 

COMENTÁRIOS ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News