Notícias » Cidades » Homem morre com braço necrosado e família aponta erro médico

ATENDIMENTO PRECÁRIO

20/03/2017 - 16:22:33
GCN

Homem morre com braço necrosado e família aponta erro médico

Uma cirurgia de amputação foi feita, mas o guarda municipal não sobreviveu.

Homem morre com braço necrosado e família aponta erro médico Foto: Reprodução

A família de um guarda municipal de Serrana, São Paulo, acusa uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade de negligência.

Reginaldo Rodrigues da Silva, de 40 anos, se recuperava de uma fratura no braço e sofreu um novo acidente com o mesmo membro. Atendido na UPA, ele continuava reclamando de dores. O guarda foi levado dias depois ao HC de Ribeirão Preto, onde foi constatado que o braço havia necrosado. Uma cirurgia de amputação foi feita, mas o guarda municipal não sobreviveu.

A morte de Reginaldo aconteceu no dia 16 e os pais dele dizem que o filho já estava com o braço fraturado e se recuperava em casa, mas o quadro teria piorado quando ele voltou a machucar o mesmo local ferido. “Colocaram o paciente lá, que já estava com o braço quebrado, e nós ainda explicamos porque já estava com gesso. Falamos que estava inchado, mas não olharam essa parte. Deram uma injeção de cada lado pra passar a dor e ele não acordou mais”, declarou a mãe de Reginaldo, Iolanda da Silva, ao site G1.

Percebendo que o homem piorava, os familiares o levaram à Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, onde foi constatado que o membro havia necrosado. “Todos os procedimentos foram feitos de forma correta, mas abriremos uma sindicância. Na UPA ele teve um rebaixamento das condições gerais devido à embolia pulmonar que não foi dado tempo hábil da transferência para que se mantivesse o Reginaldo com vida. Na medicina não podemos falar em fatalidade, temos que fazer os protocolos e salvar vidas, mas infelizmente o Reginaldo veio a falecer”, afirmou Laércio Melo, secretário de saúde de Serrana.

No atestado de óbito do guarda municipal a causa da morte consta como infarto e edema agudo no pulmão. O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) informou que investigará o caso.

COMENTÁRIOS ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News