Notícias » Saúde e Vida » Lixo hospitalar é encontrado a céu aberto em Leverger

CRIME AMBIENTAL

18/03/2017 - 20:29:38
Da Assessoria

Lixo hospitalar é encontrado a céu aberto em Leverger

Os vereadores disseram que depois do flagrante ligaram para o prefeito, Valdir Castro Filho (PSD), como também para a secretária de saúde e o diretor do hospital, mas não foram atendidos

Lixo hospitalar é encontrado a céu aberto em Leverger

Vereadores de Santo Antônio de Leverger foram na última sexta feira (18), verificar uma a denúncia de lixo hospitalar exposto a céu aberto, há mais de quatro meses, jogados nos fundos do hospital municipal, onde flagraram a irregularidade, que pode caracterizar em crime ambiental.

Os parlamentares Adelmar Galio (PSDB), Fabio Texeira (PSB) e Denis Pinheiro (PSC) informaram que receberam a denúncia via rede social, e que de momento não acreditaram porque consideraram o assunto praticamente impossível de acontecer, já que o diretor do hospital é um médico de renome no estado, o Dr. ortopedista Luis Fernando Amorim, e a secretária de saúde é a esposa do diretor, Edna Cristina de Amorim.

Para os vereadores, o executivo municipal tem que tomar atitudes de emergência, para retirar o lixo do local o quanto antes, devido os riscos de contaminação.

“A principal preocupação são as contaminações, foi possível verificar várias seringas usadas nos sacos, além do perigo de contaminação de pessoas que passam pelo local, também existem outros perigos para os funcionários e pacientes”, explicou o vereador Adelmar.

Os vereadores disseram que depois do flagrante ligaram para o prefeito, Valdir Castro Filho (PSD), como também para a secretária de saúde e o diretor do hospital, mas não foram atendidos.

Como os parlamentares não obtiveram êxito na busca pelos responsáveis, decidiram publicar as fotos da irregularidade em redes sociais, o que gerou muitos comentários cobrando atitude do poder executivo municipal.

Por Lei, a irregularidade é considerada crime ambiental, conforme o artigo 56 da Lei nº 9.605, que tem como pena reclusão de um a quatro anos, e multa.

Tanto o prefeito Valdirzinho, quanto a secretária Edna e o diretor do hospital o médico Luis Fernando foram procurados para falar sobre o assunto, mas até o fechamento da matéria não foram localizados. 

COMENTÁRIOS ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News