Pingo no i » Janela partidária foi cruel para PR e PDT em MT

Janela partidária foi cruel para PR e PDT em MT

Que fim terão o PR e o PDT em Mato Grosso? Esta pergunta vem sendo feita nos últimos dias nos bastidores políticos do Estado, principalmente em duas casas: Governo e Legislativo. A resposta, invariavelmente é a mesma: a transformação em partidos sem expressão política e incapazes de reeditar façanhas como a eleição de governadores.

 

A tal da janela partidária, aberta pelo Senado foi cruel para as duas siglas em Mato Grosso. Em uma única tacada o PR perdeu todos os seus deputados na Assembleia Legislativa. Cada qual procurando um espaço maior, em apoio ao governo do Estado ou como fez o deputado Emanuel Pinheiro se bandeando de vez para a oposição ao assinar com o PMDB. Alguém pode dizer: mas o PR ainda tem dois senadores (Blairo Maggi e Wellington Fagundes). Pois é, tem, mas cada qual agindo em torno de seus interesses. Blairo Maggi chegou perto de assinar filiação com o PMDB e só não foi para poder continuar apoiando o afilhado Mauro Mendes (PSB) que vai disputar a reeleição em Cuiabá e de alguns amigos que tentam se eleger prefeitos pelo interior afora. Já Fagundes barganha com o desastrado governo Dilma, que pode ser retirada do cargo via impeachment ou golpe (avaliem como quiserem) espaço para seus apadrinhados. Blairo, ao final das eleições deve cair fora do PR. Para onde vai? Nem ele sabe.

 

Já o PDT, que se orgulhava de ter eleito o governador do Estado, Pedro Taques, vive uma situação ainda pior que o PR. Tinha três deputados, só tem Zeca Viana, que virou inimigo de Taques, que pulou do barco e foi para o PSDB. Para piorar, o governador tirou o que pode das fileiras do time de Brizola em Mato Grosso. Na semana passada, os irmãos Otaviano e Adriano Piveta, expressões como prefeitos de Lucas do Rio Verde e Nova Mutum, pularam do barco. Acabou o PDT se transformando em um partido sem expressão. Só resta Viana. Faz lembrar o que aconteceu na era Dante, quando se fortaleceu e despencou.

 

Será que vão conseguir se refazer das cinzas, como uma Fênix?. Só o tempo dirá. Isso se aparecer algum jovem político de expressão, carismático, coisas que no PDT não parece fluir com o ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva.
 

COMENTÁRIOS