Pingo no i » X9, alcaguete entre os pobres, delator no colarinho branco. O que importa é acabar com a corrupção no serviço público

X9, alcaguete entre os pobres, delator no colarinho branco. O que importa é acabar com a corrupção no serviço público

Na ralé do mundo do crime quem denuncia um rival é conhecido como “x9”, “dedo duro”, “alcagüete” e alguns outros nomes que provocam raiva entre os denunciados. No chamado crime do calarinho branco, quem denuncia é “delator”, um nome até bonitinho para o dito cujo que em algum momento topou fazer parte das trapaças, principalmente com o dinheiro alheio, o público.
 

Em muitos casos, o bendito delator é até aquele que ensina o caminho das pedras para o enriquecimento ilícito por parte de servidores públicos. É o que chamamos de corrupto e corruptor. Difícil saber quem realmente esta de um lado ou do outro. Ora assume a condição de corrupto, oura de corruptor.


O delator, de “colarinho branco” sempre tem mais privilégios quer por parte da sociedade que o aceita de forma mais branda, quer por parte da justiça, que ávida em prender o safado do servidor público, ladrão tão quanto qualquer outro, lhe dá concessões e até menos tempo de cadeia, na chamada delação premiada.
 

E esta delação é, apesar da vantagem que o delator tem de não cumprir cadeia como quem foi delatado, afinal se passou tempo usufruindo das benesses do dinheiro público é porque topou, aceitou, se valeu da ação corrupta e só delatou quando não havia mais o interesse em dividir a propina ou quando o temor de ser descoberto e segurar o rojão sozinho lhe faz sair da falsa situação de covarde a herói.
 

A delegação em Mato Grosso tem sido excelente. Muita gente graúda na cadeia. De ex-governador, a ex-presidente da Assembleia Legislativa e advogados.

Até quando vão mofar em suas celas. Bem não interessa. O que interessa é que estão virando exemplos. Roubou o dinheiro pública, cana!!!. A punição tem de ser igual a todos.
 

COMENTÁRIOS