Família: base da sociedade

Dia dos Pais fortalece os laços familiares e faz crescer o respeito


"A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado" (art. 226 da Constituição Federal).

No dia 14, comemoraremos o dia dos pais. Dia de alegria, onde reunimos a família e homenageamos nossos pais. Famílias inteiras fazem banquetes, brindes e no momento do discurso cada filho expressa sua admiração, consideração, esmero pelo seu "herói", e com sorriso nos lábios, pega seu presente, entrega ao pai, abraçam-no e parabeniza-o pelo seu dia.

Este é um ritual seguido por algumas famílias, todo ano, de geração em geração.

E neste espírito comemorativo pergunto: quantos já tiveram a curiosidade de pesquisar o porquê da criação de um dia para comemorar o dia das mães e dos pais? De onde originou tal comemoração?

A meu ver, a criação de ambas as datas comemorativas tem a mesma conotação e objetivo: o de fortalecer os laços familiares, e eleger um dia da qual os filhos possam demonstrar respeito por aqueles que os deram a vida.

Referente a origem, conta à história que em 1909 na cidade de Washington, EUA, uma menina chamada Sonora Louise SmartDodd, após ouvir um sermão de homenagem às mães, emocionou-se e sentiu vontade de homenagear seu pai John Bruce Dodd. Viúvo perdeu a esposa em 1898 (ao "dar a luz" ao sexto filho), e criou o recém-nascido juntamente com os demais filhos sozinho.

Decorridos os anos, o orgulho da jovem majorava ao ver seu pai superar e transpor todos os empecilhos sem o auxílio de ninguém. Então decidiu lutar para homenageá-lo. Pediu apoio de uma comunidade de jovens cristãos da cidade, e em 1910 encaminhou uma petição à Associação Ministerial de Spokane, cidade localizada em Washington, Estados Unidos. Após o deferimento de tal pedido, no dia 19 de junho do mesmo ano (dia do aniversário do pai de Sonora), comemorou-se o primeiro dia dos pais.

Sonora preparou o salão da igreja para a comemoração, pensando em todos os detalhes, ela queria que aquele dia entrasse para história, pois era o dia do seu PAI, para tanto utilizou uma rosa como símbolo do evento, sendo que as vermelhas homenageavam os pais vivos e as brancas os mortos.

O sucesso da comemoração expandiu da cidade de Spokane, para todo Estado, e diante de tal difusão o então presidente Calvin Coolidge, apoiou a idéia de um dia dos pais nacional. Porém só foi oficializada mais tarde pelo presidente Lyndon Johnson, em 1966.

Pode ser que neste momento, você esteja indagando: que relação tem o artigo 226 da Constituição Federal com a origem do dia dos pais?

Pois bem, o mencionado artigo, traz a baila que a família é base da sociedade. E este dia especial (dos pais) fora criado para unir famílias, dando plena eficácia ao dispositivo legal.

O legislador ao escrever tal artigo quis manter a família como célula-mater da sociedade, a raiz/estrutura de formação de cidadãos de bem, e infelizmente temos visto este conceito ser dilacerado dia após dia. É marido espancando esposa, pai contra filho, filho contra pai, pai molestando filhas menores, lançando criança pela janela ao encontro da morte, mães tirando vida de filhos recém-nascidos, enfim... O que está acontecendo com a base/célula-mater da sociedade?

Para garantir a especial proteção do Estado às famílias, chegamos a ponto de "criar" a lei denominada "Maria da Penha" (11.340/06), para resguardar a mulher e protegê-la contra violência doméstica. Muitos dizem que a taxatividade da lei é mais uma conquista da mulher. Será? É lastimável o fato de precisarmos utilizar mecanismos severos, para proteger os lares!

Trivialmente, vemos a noticia estampada na mídia: Filho (a) esfaqueia pai/mãe. Onde está a admiração/respeito pelos pais? Não existem "Sonoras" no mundo? Que luta constantemente até mostrar ao mundo o quanto se orgulha do Pai!

Queira Deus, conscientize-se a população, que os relacionamentos familiares fortaleçam e que nada mais entre aos lares senão a expressão de amar, pois do jeito que está onde iremos parar?

Élida Pereira Jerônimo é advogada, pós graduada em Processo Civil, pós graduada em Gestão de Projetos, pós graduando em Regimes Próprios de Previdência Social e LeaderCoach pelo Instituto Brasileiro de Coaching


Mais de Élida Jerônimo