Cortina de fumaça

É inacreditável que em pleno século XXI, tenhamos que conviver ainda, com modelos arcaicos e obsoletos de administração pública, e o que é pior, convivendo com níveis de corrupção alarmantes, através da: malversação de dinheiro público, peculato, favorecimento, troca de favores e por ai vai. A hecatombe, fruto da colaboração premiada feita pelo ex-governador Silval Barbosa, acabou pegando de surpresa, a maior parte da população, que ainda acreditava em alguns políticos brasileiros. Em Mato Grosso, a coisa foi ainda pior, como se não bastassem os vídeos e áudios comprometedores, aparecendo figuras impolutas do cenário político recebendo dinheiro de propina, tendo como integrante dessa barbárie, o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB), flagrado colocando dinheiro em seu paletó, deixando parte dele cair no chão. A colaboração premiada feita por Silval Barbosa foi homologada no Supremo Tribunal Federa (STF).

Infelizmente em nosso país, as coisas ruins acontecem com uma velocidade assustadora, tendo em vista a perspicácia e habilidade dos políticos, em tentar compensar um erro, com um erro maior, como o protagonizado pelo prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), abrindo crédito suplementar de R$ 6,7 milhões para a Câmara Municipal, em decreto assinado na quarta-feira (30-08) e publicado no Diário Oficial de Contas da última quinta-feira (31).

A população cuiabana, não está conseguindo mais, engolir essa manobra sórdida e vergonhosa do gestor público Emanuel Pinheiro (PMDB), filmado recebendo dinheiro de propina; até o momento, o mesmo não se explicou perante a população cuiabana, caso exista alguma explicação, a respeito do recebimento de maços de dinheiro colocados em seu paletó.

Agora, um dia após os vereadores barrarem a abertura de uma CPI contra o mesmo, ocorre credito suplementar r de R$ 6,7 milhões, que pode até ser legal, porém é imoral, principalmente sabendo de quais setores esse dinheiro foi retirado.

Segundo documentos, os recursos deixarão de ir para as ações de informática da vice-prefeitura, sob Niuan Ribeiro (PTB), e para as secretarias de Assistência Social e Desenvolvimento Humano, de Planejamento, Obras Públicas, Ordem Pública e Gestão, além dos fundos municipais de Habitação, Geração de Empregos e Renda e ao Fundo de Apoio ao Deficiente.

Setores pontuais ficarão capengas com a retirada vergonhosa dessa verba para ser passada a Câmara Municipal, a mesma, seria importantíssima principalmente para a Secretaria de Assistência Social e Desenvolvimento Humano, que lida com pessoas em situação de vulnerabilidade social, por meio de ações relativas às políticas de superação da pobreza, promoção e garantia dos direitos humanos, ações estas, implementadas pelos: Centro de Convivência dos Idosos, Conselho Tutelar, Creas, Fundo da Criança, Conselho Direito e Congemas, esses serviços que já são precários, agora então, irão piorar, por conta de ações intempestivas e desmedidas praticadas pelo prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), visando salvar sua cabeça. A retirada dessas verbas representa apenas a ponta do iceberg, muita coisa escabrosa e vergonhosa está por vir.

Pare o mundo, quero descer!

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo (liciomalheiros@yahoo.com.br)