Farra com dinheiro público

Vivemos no país das contradições, não estamos usando de eufemismo nessa colocação, uma vez que: faltam hospitais, a educação está caindo pelas tabelas, o transporte mata mais que guerras declaradas, a distribuição de renda é desigual e por ai vai. Por outro lado, alguns deputados federais usam a verba indenizatória para pagar viagens aéreas em jatinhos particulares, em períodos eleitorais, visando ajudar seus correligionários, esta prática vem sendo recorrente.

As redes sociais exercem verdadeiro fascínio nas pessoas, elas podem ajudá-las e promovê-las, através das publicações, em facebook, instagram, twitter e por ai vai.

Porém, as redes sociais também tem sido elemento norteador de descobertas importantíssimas, no cenário político, através da exposição de alguns políticos que em períodos eleitorais, fizeram uso da verba indenizatória, que tem como propósito, custear gastos dos gabinetes, até mesmo no uso da compra de passagens aéreas a trabalho e não para visitação a comícios políticos, como alguns foram flagrados fazendo.

O Bom Dia Brasil de hoje, traz a tona, nomes de alguns políticos que fizeram uso dessa prática nefasta, a compra de passagens aéreas de jatinhos com dinheiro da verba indenizatória.

Para não nos tornarmos prolixos, vamos citar apenas alguns políticos que fizeram uso dessa prática comum, porém repugnante. De fevereiro de 2015 a maio de 2017 foram gastos com verba indenizatória, a bagatela de R$ 476.203.294,52.

O primeiro citado, o deputado federal, Júlio Cezar Carvalho Lima (PSD-PI), no ano passado viajou em jatinho fretado, com nota fiscal no valor pago a uma empresa aérea no valor de R$ 14.900,00, e pediu reembolso do valor pago. O mesmo aparece nas redes sociais apoiando correligionários.

O segundo citado, o deputado Jutahy Júnior (PSDB-BA), segundo informes do portal transparência, teria gasto R$ 56.000,00, com aluguel de um avião bimotor.

O terceiro citado, o deputado Nilson Pinto de Oliveira (PSDB-PA), teria gasto a bagatela de R$ 37.000,00.

O quarto citado, deputado Ságuas Moraes Souza (PT-MT), teria gasto com avião fretado a bagatela de R$ 36.000,00.

O quinto citado, Átila Lins (PSD-AM), teria gasto com avião fretado a bagatela de R$ 82.000,00.

O sexto citado, Fernando Lúcio Giacobo (PR-PR), 1º Secretário da Câmara dos Deputados, quem deveria fiscalizar o uso do dinheiro público, também fez uso do mesmo, usando jatinho, saindo de Brasília às 23h20min da noite, chegando à cidade de Cascavel no Paraná, voltando para Brasília no dia seguinte, chegando às 11h33min da manhã.

Resumo da ópera, quando eu disse que nosso país é de contradições, não usei força de expressão, fui claro e objetivo, por essa e por outras situações pouco ortodoxas que vivenciamos no mesmo.

Temos um universo de 14,2 milhões de brasileiros desempregados; daqueles que conseguem emprego, cerca de 23% ganham menos que um salário mínimo, que não dá para sobreviver condignamente, portanto se encontram na linha de miséria. Enquanto isso, uma minoria vive nababescamente às nossas custas, e ainda cometendo ilicitudes, com o uso de aeronaves pagas com verba indenizatória, isso é uma vergonha.

Pare o mundo, quero descer!

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo (liciomalheiros@yahoo.com.br)