UMA ABORDAGEM PEDAGÓGICA DO ESTUDO DA FÍSICA NA ESCOLA PÚBLICA

 

RESUMO: O presente trabalho visa identificar, as dificuldades dos alunos do primeiro ano do ensino médio que se refere a aprendizagem dos conteúdos de Física, ministrados pela escola Estadual Prof.ª Elizabeth Evangelista Pereira, no Munícipio de Rosário Oeste- MT, faz-se necessário o uso de questionário com questões abertas, para os alunos, professores e técnicos que pudessem mostrar as barreiras encontradas nesta etapa escolar. A primeira parte proposta pedagógica traz referencial teórico, em que faz-se uma abordagem desde a história da educação, a educação no Brasil, a divisão pela responsabilidade sobre cada etapa da educação, a qualidade da educação em nosso país, as formas de ensina, História da Física e a definição da Física hoje. Na sequência, temos a segunda parte, que apresenta analises e discussão dos dados que estão dispostos em quadros e com opiniões de 97 e alunos, 02 professores de Física e 03 técnicos pedagógicos. Em seguida relacionamos alguns problemas mais críticos que foram apontados pelos entrevistados e também sugerirmos algumas alternativas como forma de solucionar barreiras encontradas e finalizadas algumas considerações e apresentados aos referenciais.

 

Palavra Chave: Física, Aprendizagem, Ensino e Dificuldade.

 

ABSTRACT: This study aims to identify the difficulties of the students of the first year of high school that refers to the learning of the contents of Physics, taught by the State School Prof.ª Elizabeth Evangelista Pereira, in the Municipality of Rosário Oeste-MT. necessary the use of a questionnaire with open questions, for the students, teachers and technicians that could show the barriers found in this school stage. The first proposed pedagogical part brings theoretical reference, in which an approach is made from the history of education, education in Brazil, division by responsibility on each stage of education, quality of education in our country, ways of teaching, History of Physics and the definition of Physics today. Next, we have the second part, which presents analyzes and discussion of data that are arranged in tables and with opinions of 97 and students, 02 physics teachers and 03 pedagogical technicians. We then list some of the more critical problems that were pointed out by the interviewees and also suggest some alternatives as a way of solving barriers encountered and finalized some considerations and presented to the references.

 

 

Keywords: Physics, Learning, Teaching and Difficulty.

 

INTRODUÇÃO

 

Na maioria das vezes o ensino da disciplina de Física na etapa do Ensino Médio na Educação Básica, tem sido ministrado de formas simples e mecanizada, sem motivação quanto aos temas abordados e conexão com o cotidiano, acarretando aversão e antipatia a disciplina por parte da maioria dos alunos. As dificuldades na aprendizagem dos conteúdos relacionados com a Física fazem com que os alunos apresentam baixo rendimento no desempenho da disciplina, o desenvolvimento de uma imagem negativa e equivocada, inclusive das atitudes com os profissionais que atuam, enfim todos os fatos relativos a essa ciência considerada de difícil conhecimento, acessibilidade e compreensão.

Ainda a respeito dessa situação sobre a disciplina Física, observa-se que esses alunos tem uma visão restrita ou errada do campo de trabalho e atuação de um físico, assim como as relações da Física com outras áreas do conhecimento. Nota-se na realidade do Ensino que, nos últimos anos boa parte das universidades Federais e particulares do Estado de Mato Grosso, não está diferente, levando os alunos concluintes do Ensino Médio até o curso de Física nas Universidades, sem maturidade e conhecimentos específicos sobre o curso. Isto culmina em uma série de dificuldades durante a sua graduação, levando ao alto índice de reprovas e evasões.

Dessa forma o Ensino médio tem um papel fundamental na formação cientifica do cidadão e no desempenho do aluno de Física durante a sua graduação. E foi com base nos questionamentos acima que, o presente trabalho apresenta uma pesquisa de cunho qualitativa, de caráter exploratório, elaborado através de entrevistas, questionários, aplicado aos profissionais técnicos, ao corpo docente e discente da escola, objeto de estudo. De acordo com os resultados, observou-se que os alunos gostam de estudar a disciplina Física, porém, tem dificuldade de assimilar o conteúdo repassado pelos professores.

Tendo em vista as dificuldades conforme pesquisa realizada nesse trabalho desenvolvido, coube aos professores buscar meios de motivar esses alunos com dificuldades de aprendizagem na disciplina de Física e, outra alternativa o aluno procurar capacitação/formação contínua e constante a respeito de conteúdos relacionados a Ciência. Como suporte aos resultados da pesquisa realizada, a E.E. Prof.ª Elizabete Evangelista Pereira- através do Programa Escola Plena (Ensino Integral) realizou Seminários e discussões com mapeamento, dados e resultados,

ramo da Física na Estatística, proposta de trabalho e adaptação de meios alternativos ao ensino da Física e melhorar o desempenho do Processo Ensino aprendizagem da Física.

 

 

REFERÊNCIAL TEÓRICO

 

A HISTÓRIA DA FÍSICA E SUA DEFINIÇÃO COMO CIÊNCIA

 

A Física surgiu da necessidade humana em conhecer o mundo em que vive, com a intenção de entender, controlar e reproduzir as forças da natureza. Inicialmente com um grupo de filósofos que estudavam tudo relacionado à natureza, por isso eram chamados de “Filósofo da Natureza”, pois observavam os inventos que acontecia na natureza. Na Grécia surgiram os primeiros “Filósofos Naturais”, a intenção era entender como o mundo funcionava, porém sem recorrer nenhuma intenção divina. De acordo com Leucipo e Demócrito: “...o universo é formado de Átomo e Vácuo. Os átomos são infinitos e não podem ser cortados ou divididos. São sólidos de tamanhos reduzidos que não podem ser vistos, sempre se move no vácuo.”

Desde então o homem teve a necessidade de desenvolver tecnologia que facilitasse a sua sobrevivência, um dos primeiros inventos foi a descoberta do fogo por meio do atrito entre a pedra e os machados artesanais com suas partes mais finas para que o ponto de contato pudesse cortar objeto e facilitar a vida do ser humano. Com o passar do tempo começaram as inquietações para responder algumas questões do cotidiano, como foi o exemplo, a existência de dia e noite. Dai então entrou a vez do filosofo como: Aristóteles, Ptolomeu, dentre outros, que procuravam explicações lógicas que satisfaziam a população e a Igreja.

Uma das grandes explicações dadas por Aristóteles que realmente estavam condizentes com as leis da Igreja foi a teoria do geocentrismo, na qual a teoria é o centro do universo, pois a Igreja defendia que o homem era o centro de tudo. Para Speyer (1918, p. 02): “A visão geocêntrica coloca os seres humanos no palco central porque o criador não agiria de outra forma. O homem é a medida de todas as coisas.”

A explicação dos filósofos resistiu por vários séculos depois, portanto as deduções feitas por eles não necessitavam de confirmação, no qual os fenômenos que não conseguiram formular explicações não se interessavam. Desde esta época a Física estava viva e presente nos seres humanos, porém, fazia parte da filosofia que era praticado naquela época. Só com o surgimento da explicação feita por Copérnico, Galileu, Jordan Bruno entre outros, sobre os métodos científicos, foi tomando formas, por exemplo, quando Galileu provou na prática que um corpo mais pesado cai igual o outro mais leve desde que não sofram efeitos da força da resistência do ar, demonstrando ao soltar do alto da Torre de Pisa na Itália dois corpos de massa diferentes e os dois caíram ao mesmo instantes no chão, superando teoria de Aristóteles que o corpo de maior massa cairia primeiro, pois tinha maior peso.

Após o surgimento do método cientifico, em seguida após a morte de Galileu (noite de Natal) nasce um gênio, Isaac Newton, que deu a extraordinária parcela de contribuição para a humanidade ao explicar por que os corpos caem e ao materializar as teorias então vigentes, desenvolveu o método do cálculo diferencial e integral. Porém os estudos realizados em todos os campos sejam da Ciência biológica e química, sempre partirá de um conhecimento já existente como foi o caso de avaliação da ciência desde Aristóteles que teve sua parcela de contribuição, passando por Copérnico, Galileu e Newton entre outros. Como comenta Speyer (1918, p. 03):

“uma característica de um gênio é o fato de que seu campo escolhido fica tão imbuído de sua obra, que alguém que deseje, transcrever essa obra, conduzi-la até novas áreas, vê-se praticamente forçada a com o trabalho gênio”.

 

Portanto, com o passar do tempo um lugar central para integrar em lugar paralelo no universo. Apesar dos avanços conseguidos por Isaac Newton, com a elaboração das três Leis Mecânicas e a lei da gravitação, houve outros personagens que também contribuíram para o avanço da ciência, como Faraday e Maxuel no campo da eletricidade, Niels Bohr e Wolfgang Pauli na área de química e mais adiante com a teoria da relatividade Albert Eeisten que teve extrema contribuição para o avanço tecnológico que então ocorrendo no século XXI.

Até o início do século XIX, era normal que os físicos tinham que ser ao mesmo tempo matemáticos, filósofos, químicos, biólogos e engenheiros. Hoje no âmbito da Física houve um avanço tanto que, com poucas exceções, os físicos

modernos tem que limitar sua atenção a um dos ramos da sua ciência. Uma vez se descobre e compreendem os aspectos fundamentais de um novo campo, este passa a ser interesse de engenharia e cientistas.

Por definição, “a Física é ciências que investiga as propriedades e a estrutura dos sistemas materiais, e suas leis fundamentais” (Ferreira, 2000, p. 323). Apesar de estar presente em todos os lugares seja no planeta ou universo, as pessoas não tem conhecimento de como influencia na vida. É circunstancias da história, devido à como área que estuda os fenômenos, suas causas e consequências. Os cientistas eram tratados não como pessoas normais, porém, como classe diferenciada da população, pois se pensavam que as descobertas feitas por eles só os interessavam.

Entretanto, com os avanços nas pesquisas e a produção de utensílios que cada vez mais ajudavam o ser humano na sua convivência no mundo, a física passou a ser reconhecida como extremamente essencial para a evolução da humanidade. Passou a ser ministrada como disciplina obrigatória nas escolas, mas a linguagem da física até alguns anos, ainda não eram compreendidas por todos no contexto, isto se deve as metodologias utilizadas pelos educadores que levam os alunos a não gostarem da Física.

 

O ENSINO DA FÍSICA NA ESCOLA PÚBLICA

 

No Brasil a Física foi ministrada primeiramente em curso superior de Engenharia Civil, onde surgiu a necessidade de construir laboratórios, para melhor compreensão das teorias exploradas na sala de aula, com o passar do tempo, o estudo de físicos ampliados ao outros cursos e também ao Ensino Médio, havendo necessidade de que o aluno tivesse contato com a disciplina para um melhor preparo, não só no ensino superior, como para o mundo em que vive.

Entretanto, a Física só é ministrada, até hoje no Ensino Médio, e é mostrado em uma pequena introdução no 9º (nono) ano do Ensino Fundamental juntamente com a Química e levando o nome de Ciências Exatas. Logo no primeiro Ano do Ensino Médio, os alunos se deparam com a disciplina da Física e da Química separadamente, é a fase em que o discente encontra dificuldade, pois a disciplina física exige diversos conhecimentos adquiridos ao longo de todo Ensino Fundamental, “a falta de conhecimentos básicos em leitura e interpretação de textos

e as dificuldades com a aprendizagem de conteúdos da matemática básica, são fatores que prejudicam a aprendizagem do estudante logo no primeiro contato com física” (CAVALCANTE, 2010).

Segundo os PCNS (2008, P. 46) “o objetivo principal do Ensino Médio é a formação da autonomia crítica do educando, esta deve dar-se sob três aspectos: intelectual, politico e econômico”. Ainda com a realização das aulas de acordo com o cotidiano amenizam as dificuldades na aprendizagem. Admite-se ainda que, encontram dificuldades principalmente em aulas de física, alunos que chegam ao Ensino Médio com deficiência em interpretar texto e cálculos.

Para que entendam a Física procuramos selecionar temas significativos, para que os alunos estudem pelo menos o básico no ensino da Física. Procuramos abordar assuntos relacionados ao cotidiano do aluno e os conteúdos abordados, de acordo com o nível de aprendizagem e Ano/série. Serão desenvolvidas experiências na sala de aula, no Laboratório de Ciências da Natureza com apoio da Escola e profissionais da área, uso de materiais simples e fácil acesso. Apesar da formação dos profissionais não ser específica em Física, procuram se esforçar elaborando propostas que consigam aproximar cada vez mais a Física do cotidiano do aluno e este levar essa aprendizagem para seu projeto de vida.

O objetivo deste trabalho é orientar o professor de como mediar o ensino da física para o aluno para que ele possa construí-la como uma ciência que se ocupa da discussão dos fenômenos naturais. Profissionais da área da Educação, principalmente os professores das Ciências exatas (Matemática, Física e Química), se pergunta como ensinar o conteúdo complicado e as vezes abstratas, como é a situação da Física.

Muitas vezes o que ocorre é que os professores, na grande maioria, fazem uso somente de troca de informações professor/aluno, e se esquecem de fazer com que os alunos interliguem o conteúdo da sala de aula com um mundo real. E como consequência disso o professor acaba perdendo a motivação em lecionar, pois alunos deixam de questionar sobre o que está sendo repassado, ou seja, nada aprendem. Como afirma Freire (1996, p. 24):

“Aprender precede ensinar ou, em outras palavras, ensinar se diluía na experiência realmente fundamentada de aprender.” Portanto, ensinar é um processo de reciprocidade onde ao ensinar o professor aprende juntamente com o aluno, pois este possui conhecimento do seu cotidiano, portanto pode unir teoria e prática e acumular conhecimentos e valores que poderão ser aplicados no seu dia-a-dia.

Para que haja construção de conhecimentos e aprendizagens de técnicas adquiridas no processo de formação do educador, este terá que se esforçar para participar continuamente, pois sem essa formação enfrentará dificuldades e terá que assumir algumas posturas de professor tradicional e conteudista, cujo objetivo repassar o conteúdo de forma mecânica e este assimilado ou compreendido sem contextualizar o cotidiano do aluno. O profissional só visa os testes sem uma avaliação contínua que deveria ser feito no decorrer do ano letivo. Sobre isto Freire (1996, p. 44) comenta:

“Creio que umas das razões que explica este descaso em torno do que ocorre no espaço - tempo da escola, que não seja atividade ensinante, sendo uma compreensão estreita do que é educação e do que é aprender.”

 

Apesar do que está descrito no dicionário sobre a definição do termo ensinar, é transmitir conhecimento. Portanto, ensinar exige mais do que está em sala de aula, necessita de um planejamento diário daquele que executa este papel importante na Educação. Ensinar é uma arte.

 

METODOLOGIA – ANALISE DE DISCUSSÃO DOS DADOS

 

Esta pesquisa realizada visa mostrar quais os fatores que atingem o processo de ensino aprendizagem da Física no primeiro ano do ensino médio. A partir dos dados coletados juntos aos alunos, professores e técnicos irão mapear quais as dificuldades na aprendizagem desta disciplina, que é de suma importância para a formação do indivíduo.

 

LOCAL DA PESQUISA

 

O objetivo da pesquisa foi realizado na Escola Estadual do Ensino Médio- Integral Prof.ª Elisabete Evangelista Pereira, considera uma escola do porte médio, localizada em Rosário Oeste- MT, Rua C, nº 43, Bairro Cohab Velha, CEP 78.470-000. Funcionando nos três turnos, matutinos e vespertinos são Integral e noturno Regular. Com 10 salas de aula, sala de Informática, Laboratório de Ciências, biblioteca, sala dos professores, secretaria e sala dos técnicos, sala do diretor, refeitório, cozinha e banheiros masculino e feminino. A pesquisa foi realizada na escola envolvendo alunos, professores e corpo técnico da escola que responderam os questionários elaborados com o intuito de suprir a necessidade da pesquisa.

 

METODOLOGIA

 

A forma mais comum para coletas de dados é a pesquisa por meio de questionário. Portanto usamos este método para podermos desenvolver este trabalho de maneira qualitativa e quantitativa. Entrevistamos 97 alunos dos primeiros anos do ensino médio, sistema Integral, professores que ministram aula de Física na escola e três técnicos gestores, sendo todos do sistema Integral do horário de funcionamento da escola. Esses dados nos ajudaram a desenvolver um perfil das dificuldades na aprendizagem da Física na escola.

As perguntas são voltadas para os alunos, tendo como uns dos objetivos identificar o grau da diferença entre física e as outras disciplinas, tendo como a importância para o cotidiano do aluno, a forma de como é trabalhada e como gostaria de explorar esse conhecimento e observar as maiores dificuldades diante desta disciplina. Para professore as perguntas fazem referencias a formação, passando para a carga horaria da disciplina, verificar se a estrutura da escola oferece suporte para que possam desenvolver o trabalho e por fim averiguar a satisfação do professor quanto a sua remuneração e com o corpo técnico foram questionados sobre a aplicação em sala de aula do conteúdo relacionado ao cotidiano, passando pelo apoio técnico ao professor para que possa desempenhar um bom trabalho sobre a utilização de experiência para melhor desenvolver o conteúdo e o relacionamento deste com o dia a da do discente.

 

 

DESCRIÇÕES DE ANALISES DE DADOS

 

A VISÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO A FÍSICA

 

As respostas dos alunos da Escola Estadual Prof.ª Elizabete Evangelista Pereira, Ensino Médio em relação a Física, como estavam relacionadas a visão dos discentes as em relação a outras disciplinas, a forma como é trabalhada e a importância dos conteúdos para a sua formação.

 

Quadro nº 01

Perguntas Sim% Não% Nº de Entrevistado

Você gosta de

estudar Física? 31,9% 68,1% 97

Total 100% 97

 

No quadro nº 01, temos a pergunta sobre a identificação dos alunos com a disciplina. Nele podemos observar que a menor parte gosta de estudar a disciplina que corresponde a 31,9%, e enquanto 66,1% declararam que não gosta de estudar Física.

Quadro nº 02

Pergunta Não sei % Não tem As fórmulas % A teoria % Nº Entrevistado

Qual a

diferença

entre Física

e

Matemática 12,3% % 40,2% 47,5% 97

Total 100% 97

 

Na segunda pergunta 12,3% disseram não saber a diferença da Física com a Matemática, nenhum aluno respondeu que não há diferença entre elas, 40,2% disseram que as fórmulas diferem as duas disciplinas e 47,5% afirmam que só a teoria é diferente. Com estes dados, podemos observar é que a forma como é trabalhado enfatizando as teorias dando ênfase as leituras e interpretações.

 

Quadro nº 03

Pergunta Sim% Não % Nº Entrada

O professor utiliza recurso

didático 64,9% 35,1% 97

Total 100% 97

 

Na terceira pergunta temos a pergunta sobre utilização de recursos didáticos para expor o conteúdo, podemos observar que 64,9% disseram sim e 35,1% declararam não usam recursos didáticos.

 

Quadro nº 04

Perguntas Não tem Pouca Muita Nº Entrevistado

Qual a 9,2% 28,8% 62% 97

importância do ensino da Física para você

Total 100% 97

 

Foram obtidos os seguintes resultados, 9,2% responderam que a Física não tem importância, 28,8% disseram que a Física é de pouca importância para o dia a dia e 62% responderam que o ensino da Física é importante. Apesar da maioria dos discentes responderem que a Física trabalhada na escola é realmente importantes para eles, uma parte dos educandos não concordam, pois o que é trabalhada na escola tem pouca ou nenhuma influencia no cotidiano.

 

Quadro nº 05

Pergunta Sala de aula Sala de experiência No laboratório Nº de entrevistado

Como você

gostaria de

estudar a

Física? 15,5% 77,4% 7,1% 97

Total 100% 97

 

No quadro nº 05, quando questionados sobre como gostaria de estudar Física, as respostas obtidas foram: 15,5% na sala de aula, 77,4% gostariam de estudar na sala com experiência e 7,1% a preferencia é estudar no laboratório. Com este resultado, concluímos que os discentes gostariam de estudar Física de forma experimental, em que poderiam comprovar na prática os conteúdos aplicados.

 

Quadro nº 06

Perguntas Sim Pouco Não Nº Entrevistado

A Física estudada

tem relação com o

cotidiano e

tecnologia 60,8% 25,7% 13,5% 97

Total 100% 97

Foram apurados que 60,6% disseram que os conteúdos têm relação ao seu cotidiano, 25,7% declararam houver pouca relação, mas 13,5% disseram que a Física estudada na escola não se relaciona com o seu cotidiano.

 

Quadro nº 07

 

Pergunta Cálculo Interpretar teoria Relação teoria e prática Forma de trabalho pelo professor Nº Entrevistado

Qual a

sua

dificuldade

de

entender a

disciplina? 16,5% 45,4% 9,3% 28,8% 97

Total 100% 97

 

No quadro nº 07, a pergunta mostra várias dificuldades na aprendizagem da Física, porém, a maior parte ficou por conta de Interpretar teoria, 16,5% dos entrevistados respondeu entender cálculo, 45,4% Interpretar teoria que foi o maior problema, enquanto 28,8% disseram que a forma como é trabalhado a disciplina não tem uma compreensão precisa do conteúdo. Assim podemos observar que dentre várias dificuldades dos alunos para compreensão da Física está relacionado Interpretação de teoria, que eleve um percentual.

 

ANALISE E DISCUSSÃO DA VISÃO DOS PROFESSORES NO ENSINO DA FÍSICA

 

Quadro nº 01

Pergunta Sim Não Nº de Entrevistado

Você é graduado

em Física 50% 50% 2

Total 100 2

 

Podemos observar, 50% é graduado e 50% não tem graduação em Física. Devido a carência da falta de professores, é da Biologia que atua nas aulas de Física, porém não são preparados com as técnicas adequadas para ministrar as aulas da disciplina. Com isso o ensino da Física acaba encontrando problema no entendimento e se tornando difícil e complexa.

 

Quadro nº 02

Pergunta Sim% Não% Nº de Entrevistado

A quantidade de

hora semanal é

suficiente para

trabalhar? 50% 50% 2

Total 100% 2

 

No quadro nº 02, a pergunta está relacionada à carga horária da disciplina da Física 50% dos professores disseram é suficiente para ministrar as aulas e 50% disseram que é insuficiente para ministrar os conteúdos, se comparando com a carga horaria de outras disciplinas, o tempo é curto para explorar os conteúdos, como isto ao final do ano letivo, vários temas não são trabalhados. Isso ocorre ao longo do ensino Fundamental com os alunos, pois os conteúdos não são explorados adequadamente, o discente vai acumulando deficiência que vão causar dificuldade no ensino pela vida toda.

 

Quadro nº 03

Pergunta Sim% Não% Nº de Entrevistado

Você utiliza

recursos didáticos

em suas aulas 100% 2

Total 100% 2

 

Como podemos observar 100% declararam usar os recursos didáticos citados no questionário tais como: livros didáticos, Laboratório de Informática e Ciências. O professor usando este recurso trabalha somente a teoria. O uso de experimento é necessário 

 

Quadro nº 04

 

Pergunta Sim% Não% O ensino independente da estrutura da escola Nº de Entrevistados

A estrutura da

escola é

suficiente para

o apoio o

processo

ensino

Aprendizagem? 50% 50% 0 2

Total 100% 2

 

O quadro nº 04, indica que 50% dos docentes responderam que é suficiente e 50% declararam que é insuficiente para que hoje eficiência no ensino aprendizagem. Podemos observar que a escola ainda não dispõe de uma estrutura adequada para trabalhar os conteúdos com excelência.

 

Quadro nº 05

Pergunta Sim% Não% Nº de Entrevistado

O seu salário é

compatível com o

seu trabalho. 50% 50% 2

Total 100% 2

 

Na pergunta do quadro 05, se refere a remuneração dos professores 50% dos entrevistados disseram sim que o salário é compatível e 50% disseram que é insuficiente pelo trabalho. Identificamos alguns problemas nesta pesquisa: A insuficiência de carga horaria para trabalhar o conteúdo, a falta de infraestrutura por conta de ser uma escola de ensino Integral, professores graduado em outra disciplina ministrando a Física. São problemas que acabam atingindo o ensino aprendizagem e consequentemente o ensino da disciplina será baixo. Portanto, podemos dizer que tudo isto leva a falta de estimulo tornando a disciplina difícil e complexa.

 

 

Analise e discussão voltada para o Corpo Técnico. Na sequencia vamos apresentar as perguntas relacionadas ao Corpo Técnico da aula e aos dados coletados, e assim discutir os resultados.

 

Quadro nº 01

Pergunta Sim% Não% Nº de Entrevistado

O ensino de Física

na escola é voltado

para o cotidiano do

aluno? 100% 3

Total 100% 3

 

Podemos observar 100% dos entrevistados responderam que o ensino da Física na Escola está voltado para o cotidiano, podendo averiguar que avançar mais em usos de materiais didáticos e concretos para melhor absorção do conteúdo para o processo ensino aprendizagem.

 

Quadro nº 02

Pergunta Sim% Não% Nº de Entrevistado

Há apoio para o

professor por parte

do corpo técnico

para melhorar o

desenvolvimento

da disciplina? 100% 3

Total 100% 3

 

Neste segundo quadro, os técnicos são questionados se há apoio aos docentes para um melhor desempenho. Os resultados obtidos foram 100% responderam que sim.

QUADRO Nº 03

Pergunta Sim% Não% Nº de Entrevistado

Você acha a forma

como é trabalhado

os conteúdos de

Física suficiente

para o ensino da

disciplina? 66,6% 33,4% 3

Total 100% 3

 

Podemos observar que 66,6% dos entrevistados declararam sim, a forma é suficientemente trabalhada, porém, 33,4% perceberam que a forma que é trabalhado é insuficiente para suprir a necessidade da disciplina. Podemos perceber que há uma divergência, entre a resposta do quadro 02 e 03, quando os técnicos afirmam haver apoio aos professores para o desenvolvimento da disciplina e, em seguida 33,4%, afirmou que a forma de trabalhar o conteúdo é insuficiente.

 

QUADRO Nº 04

Pergunta Sim% Não% Nº de Entrevistado

Você acredita que

o uso de

experiência na sala

de aula contribuiu

para o

desenvolvimento

da aprendizagem

do aluno? 100% 3

Total 100% 3

 

Conforme o quadro nº 04, 100% do corpo técnico acreditam que o uso de experiência em sala de aula traz benefício para o aluno no processo ensino aprendizagem. Concluindo, é um numero significativo, pois o ensino da Física de acordo com as respostas é necessária experiência para compreender e assimilar com clareza os conteúdos.

 

QUADRO Nº 05

Pergunta Sim% Não% Nº DE Entrevistado

Será que o aluno

terá estimulo para

estudar Física se

fosse incluída nas

aulas experiências

voltada para a vida

diária? 66,6% 33,4% 3

Total 100% 3

 

Concluímos que a relação a pergunta, 66,6% reprenderam que o conteúdo ministrado esta, voltada para o cotidiano, enquanto 33,4% declararam que não precisa uma conexão entre o conteúdo e a vivencia do discente.

Podemos concluir o ensino da Física na escola pública é prejudicada por vários motivos principalmente no primeiro ano do ensino médio, na maioria das vezes onde o aluno tem o primeiro contato com a disciplina. Nesta fase se deparam com professores sem qualificação para conduzir as aulas, como relata a pesquisa. Uma parte dos docentes não é graduada na disciplina e acabam destorcendo o conteúdo, usando como argumento a falta de estrutura, questiona a carga horaria da disciplina por ser reduzido impossibilitando de avançar com o conteúdo e a remuneração não é adequado ao trabalho.

Concluímos que a aprendizagem do discente depende da ligação entre todas as disciplinas sendo prejudicada, pois o aluno necessita de leitura, interpretação de texto para compreender diversos, histórico dentre outros para poder situar-se espaço e tempo, assim acaba apresentado dificuldade na aprendizagem no ensino da Física.

  

PROPOSTAS DE INTERVEÇÃO

 

Ao longo desta pesquisa, analisamos quais as dificuldades do discente diante á aprendizagem da disciplina, na ocasião verificamos quais são os problemas para compreender a disciplina que mais está presente no dia a dia do aluno. Dentre os quais se destacam a não formação do professor na área de Ciências da natureza, falta de estrutura da escola para dar suporte para o processo de ensino aprendizagem, a carga horária reduzida da disciplina e principalmente as deficiências que os alunos adquiriram ao longo do ensino Fundamental nesta área.

Neste trabalho propomos a todas as pessoas que fazem parte do quadro de educadores e aqueles comprometidos com a educação de qualidade necessitam tomar algumas atitudes para melhorar o desempenho e compreensão dos educandos, diante da Física. Para professores que ministram as aulas e não são graduados na disciplina, busque aperfeiçoar através de cursos preparatório, formação continuada, feira de ciências além das variedades de informações que estão ao alcance da Internet, já que a escola oferece Laboratório de informática, pois o docente deve pesquisar e como explorar os conteúdos usando materiais concreto e reciclado do cotidiano do aluno, com isso estimular o educando a elaborar juntos com o educando os experimentos que podem ser aproveitado em

feira de ciências realizada na própria escola, com esta atitude o professor irá desenvolver o aluno para que aprenda na pratica o que normalmente é trabalhado na teoria.

Ao corpo técnico que tem como uma das funções elaborar calendários e horários escolar, que vejam a Física não como mais uma disciplina e sim o descreve o Parâmetros Curriculares e Nacionais (PCN) de ciência da natureza, matemática e suas tecnologia,

. . . um dos grandes do ensino das ciências no nível médio: que os alunos compreendam e predominam de aspectos tecnológico e cientifico na tomada de decisões sociais significativos e conflitos gerados pela negociação politica. (2008, p.47).

 

Conforme o resultado do corpo técnico sugere que para sanar as deficiências dos docentes que explorem o conteúdo de forma concreta e se possível que haja uma elevação de atividades que envolva o dia a dia do educando.

Portanto para despertar o senso cientifico, os docentes que ministram os conteúdos da Física, utilizem experimento nas aulas, pois no ato da exploração demonstrando a pratica o docente está incentivando os alunos aprofundarem no mundo cientifico a sanarem as dificuldades apresentadas. Assim acreditamos que o aluno no ensino médio terá menos dificuldades em compreender a Física.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Considera-se que a Educação é um dos meios pelo, podemos mudar a sociedade para melhor, apesar do ensino dividir-se em público e particular, as escolas onde o ensino é particular mantem uma minoria de estudantes, pois a maioria frequentam escolas públicas em todas as etapas da Educação Básica, cujas instituições de ensino encontram-se em abandonadas pelo descaso do poder público. Devido as dificuldades que as Escolas Públicas vêm passando em não poder garantir condições básicas para o desenvolvimento efetivo do Processo Ensino Aprendizagem, os professores procuram articular meios para suprir necessidades materiais e humanas e poder ser mediador de conhecimento, utilizando-se de propostas pedagógicas e materiais alternativos para que o aluno alcance resultados positivos.

Percebe-se com os resultados deste trabalho que os métodos e técnicas de ensino, dependem das formações e capacitações constantes do professor para que ele possa acompanhar o desenvolvimento do aluno, das mudanças tecnológicas interligadas com as práticas pedagógicas, superando as barreiras e problemas de aprendizagens, tornando a troca de conhecimentos e experiências um desafio de alunos e educadores para a conquista dos anseios de todos.

Conclui-se que, quando há domínio de conteúdos ministrados no dia-a-dia, valorização do professor e estímulos para o desenvolvimento efetivo do Processo Ensino Aprendizagem, o ambiente escolar transformar-se num ambiente alfabetizador com recursos materiais, humanos e tecnológicos disponíveis para que o aluno, foco da aprendizagem possa desenvolver seu protagonismo juvenil relacionando seu cotidiano com os conhecimentos adquiridos e inserir na sociedade da qual está inserido. Dessa forma os educadores terão a oportunidade de que se desenvolva uma educação de qualidade e o aluno possa exercer sua cidadania e a escola desempenhar sua função social, formadora de cidadãos livres e conscientes, capazes de perceber e compreender o mundo em que vive. 

 

REFERÊNCIAS

 

CAVALCANTE, K. A Importância da Matemática do Ensino Fundamental na Física do Ensino Médio. Canal do Educador, Estratégia de Ensino, Física. Disponível em: < https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/a-importancia-matematica-ensino-fundamental-na-fisica-.htm>. Acesso em 14 de jan. de 2019.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda, Mini Aurélio Século XXI: O minidicionário da língua portuguesa / Aurélio Buarque de Holanda Ferreira; coordenação de edição, Margarida dos anjos, Marina Baird Ferreira; lexicografia dos Anjos... [et al.] Ed. Ver. Ampliada. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

FREIRE, Paulo; Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à pratica educativa / Paulo Freire. – São Paulo: Paz e Terra, 1996 (coleção leitura).

MELLO, Guiomar Nano, Professor Criança e Escola (Educação Desenvolvimento e Aprendizagem) C4 Editora SP (2002).

RIBEIRO, M. L. S. História da Educação Brasileira: a organização escolar – 20 ed. – Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2007. – (coleção memoria da educação).

 

ANEXOS

 

QUESTIONÁRIO DO ALUNO

1ª- Você gosta de estudar física?

( ) Sim ( )Não

 

2ª- Qual a diferença entre a física e a matemática?

( ) Não sei ( ) Não tem ( ) As formulas ( ) A teoria

 

3ª- O professor utiliza recursos didáticos para expor o conteúdo?

( ) Não ( ) Sim. Quais? _______________________________

 

4ª- Qual a importância do ensino da física para você?

( ) Não tem ( ) pouca ( ) muita

 

5ª- Como você gostaria de estudar física?

( ) Só na sala de aula

( ) Na sala com experiências

( ) no laboratório

 

6ª- A física estudada na escola tem relação com seu cotidiano e suas tecnologias?

( ) Sim ( ) pouca ( ) Não

 

7ª- Qual a sua maior dificuldade na disciplina física?

( ) Entender os cálculos

( ) interpretar a teoria

( ) A relação entre a teoria e prática

( ) A forma como é trabalhada pelo professor

 

QUESTIONÁRIO DO PROFESSOR

 

1ª- Você é graduado em física?

( ) Sim ( ) Não

 

 

2ª- A quantidade de hora semanal é suficiente para trabalhar o conteúdo?

( ) Sim ( ) Não

 

3ª- Você utiliza recursos didáticos em suas aulas?

( ) Sim. Quais? _____________________________________________

( ) Não

 

4ª- A estrutura da escola é suficiente para apoiar o processo de ensino- aprendizagem?

( ) Sim

( ) Não. Por quê? _____________________________________________

( ) O ensino independe da estrutura da escolar

 

5ª- O seu salário é compatível com seu trabalho?

( ) Sim ( ) Não

 

QUESTIONÁRIO PARA O CORPO TÉCNICO

 

1º- O ensino de física na escola é voltado para o cotidiano do aluno?

( ) Sim ( ) Não

 

2º- Há apoio para o professor por parte do corpo técnico para melhorar o desenvolvimento da disciplina?

( ) Sim ( ) Não

 

3º- Você acha a forma como é trabalhado os conteúdos de física suficiente para o ensino da disciplina?

( ) Sim ( ) Não

 

4º- Você acredita que o uso de experiências na sala de aula contribui para o desenvolvimento da aprendizagem do aluno?

( ) Sim ( ) Não

 

5º- Será que o aluno terá estimulo para estudar física se fosse incluída nas aulas experiências voltadas para a vida diária?

( ) Sim ( ) Não

 

Odete Ramos é professora de Matemática e Física na Rede Estadual de Enino de Mato Grosso


Mais de Odete Ramos