A realidade positiva

 

O maior conflito na vida é não assumir as batalhas interiores, pois ao reconhecer os nossos defeitos, faz com que consigamos manter o nosso equilíbrio, e sem saber que ao exteriorizar os nossos pensamentos sobre o nosso modo de viver, este, pode influenciar pessoas de forma positiva ou negativa, e numa integração contínua vão formando a realidade coletiva das pessoas que estão ao nosso lado.


A própria alegria de viver combinada com a autoconfiança, pode atrair invejas em algumas pessoas e de outra forma podem ser incentivos para outras, vejam que pela cidade existem pessoas caminhando sem rumo, e que por alguma razão, há muito tempo já perderam a expectativa de transformação, e seguem vivendo apenas de arrependimentos, pois deixaram de acreditar nos seus projetos pessoais, e com isso, fé enfraquecida e a confiança em si própria passou a depender de incentivo dos outros.


Mas, o importante é saber que basta estarmos vivos para termos problemas, e eles fazem parte de nossas vidas. Sem os problemas não teríamos parâmetros para valorizar as nossas vitórias. Acima de tudo, devemos ter sempre a certeza que podemos ir muito além, a vida não termina ao fim de um dia, pois a cada amanhecer nascem com novos sonhos e as opções de conquistas vêm nos acordar para nos dizer que estamos vivos, é por isso que devemos estar atentos para reconhecer o nosso próprio valor e fazê-lo valer de fato.


A nossa existência é composta do nosso próprio valor humano, que são trazidas das nossas raízes e dessa origem é que vem o nosso poder de esperança, todos nós nascemos com o nosso código de honra, que são heranças existenciais dos nossos antepassados, mas durante o nosso viver sofremos influências que provocam mudanças, mas o importante é não perder a nossa essência: se elas não forem boas, temos a obrigação de corrigi-las, a perfeita visão periférica é que dará o poder de excluir da nossa vida tudo aquilo que pode estorvar ou bloquear os nossos caminhos.


O importante é manter no registro mental, de tudo que conquistamos e que por direito são nossos, e que pela vida afora, são alcançados pelos nossos esforços e pelo desejo profundo de aumentar o nosso querer, só assim, os nossos sonhos materializarão como sendo nossos.


Tudo que se tornou nosso, (mesmo que seja uma pequena conquista), temos que vibrar de forma festiva e positivamente, pois essa energia festiva nos traz felicidade e na profundeza do nosso coração trará sensação de prazer, pois acima de tudo somos seres emocionais, e isso, nos reforçará a possibilidade viver sob a forma de estarmos sob o controle físico e equilíbrio espiritual.


Economista Wilson Carlos Fuáh – É Especialista em Recursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.
Fale com o Autor: wilsonfua@gmail.com