As eleições e os políticos

O que leva uma pessoa a desejar profundamente o poder político e lutar com todas as forças para ser um político poderoso, cercados de bajuladores, interesseiros, manipuladores, perdulários e avarentos.


O que leva uma pessoa a deixar sua vida profissional e trocar os momentos com a sua família, que com certeza lhe daria beijos, abraços, afagos, entregas e diálogos, que são atitudes simples, mas insubstituíveis, simplesmente para levaruma vida de político profissional?


Vai começar a campanha eleitoral, e esta eleição será muito diferente, pois os eleitores estão mais politizados diante das informações através das notícias nas Rádios, TV e nos Sites, e os políticos terão que esclarecer o que fizeram nos últimos dias dos seus mandatos, e durante o horário eleitoral estarãopassando as suas verdades ou suas mentiras para o povo carente de líderes, carente de salvadores da pátria, pois o povo é carente de tudo, e ao votar está apenas buscando alguém confiável ou um “semideus” que traga as soluções para os seus problemas, mas será que esse político existe?


Um ladrão de rua rouba a mão armada, rouba um patrimônio individual, mas, o ladrão do erário público, usa uma caneta e assina responsabilizando com apratica de roubo coletivo, pois está roubando toda a população, são milhares de pessoas roubadas, a cada ação ilegal praticada dentro de um órgão público, os políticos desonestos estão praticando as piores das covardias morais, pois estão roubando as pessoas mais carentes e indefesas (entre eles estão muitos políticos indiciados e na fila da delação premiadas).


Esses desvios de recursos públicos, não são apenas crimes comuns, esses roubos estarão prejudicando milhares de pessoas carentes por saúde, por escola, por transporte, por moradia, é um roubo que prejudica população como um todo. Deveria ser equiparado aos piores dos crimes hediondos, e deveria caber a pena máxima e a perda total do patrimônio.


O desvio de recursos públicos, é o pior dos crimes que se comete neste país, pois além do dinheiro que poderia beneficiar a comunidade, tira também a oportunidade única que o cidadão tem para ser atendidos na rede pública, fazendo com que as pessoas passem por humilhação na fila de espera, sofrendo deitado em macas nos corredores sujos e infectados dos prédios públicos, e as vezes, ficam com uma perna quebrada e tem que esperar por meses para receber um tratamento ou quem sabe um dia receber uma cirurgia, isso é inaceitável nos dias de hoje.


Um cidadão sem saúde tem duas dores: dor física e a dor do sentimento de impotência para protestar ou mandar prender aqueles que estão roubando as verbas públicas, essa é a pior dor, pois é a dor da indignação.


Para acabar com a carreira desses políticos desonestos e não tem compromisso com o povo, que não respeita o seu voto, e que troca de partido porque não tem ideologia nenhuma, pois só pensam neles mesmos, têm como meta a evolução patrimonial de forma individualizada e desonesta.


Quando você entrar na cabine de votação, antes de votar, pense muito antes de digitar o número, e antes de decidir em acionar a tecla verde “confirme”, pare por um momento, olhe bem na foto do político e veja o que ele tem de semelhança com a sua vida e ouça o seu coração nessa escolha, porque depois desse ato, seus dias poderão ser transformados em quatro longos anos de arrependimento.

Economista Wilson Carlos Fuah – É Especialista emRecursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.


Mais de Wilson Carlos Fuá