Como sair da crise

Virou moda a palavra CRISE, e a sua propagação em forma de lamentação aumenta de certa forma a sensação de vazio e dobra o peso da carga pessoal, e o descontrole, é espalhado no ambiente plantando uma sensação de tristeza, e o clima de derrota é qualificado por todos os ângulos, e aqueles que vivem próximo, também são bombardeados e ficam sem entender exatamente o que está acontecendo.


Mas, para mudar o estado de crise, que pode levar o possibilidade todo o patrimônio para o buraco ou para o fim das ações atrativas para o recomeço são travadas diante dos momentos de angústias, dores, tristezas, e toda visão de prosperidade parece estar na mira de espelhos quebrados onde a visão é destorcida, e para dar uma espécie de conforto momentâneo, alguns até passa a usar como parâmetros o vizinho que está pior que ele próprio, é uma tentativa para justificar a sua ANORMALIDADE, mas nivelar por baixo não o fará sair da crise, pois o acomodará com a transferência da sua responsabilidade equiparando aos outros, usando a clássica frase: “Todos estão ruim igual a mim”.


Ser um lamentador só vai propagar mais e mais a depressão e a auto opressão, porque comparar com quem está pior que você, não vai resolver coisa nenhuma, para sair desse estágio de crise, temos que mirar em quem faz sucesso ou em projetos que promove o crescimento, mas para sair desse estado paralisante, temos que assumir responsabilidades e direcionar para novos rumos, e saber o que fazer hoje e agora, ou saber para onde quer ir e como recomeçar.


Para sair da CRISE, temos que buscar vários pontos de vista e colocar todas as nossas situações em cima da mesa e buscando a origem real dos nossos fracassos e não ficar a vida toda, vestido de “Corpo de Bombeiro” apagando fogo, sem saber de onde vem o fogo.


Quem já passou por uma CRISE, sabe como as pessoas ficam, com falta de energia e falta de lucidez, mas apesar dos pesares, o importante é não terceirizar seus problemas ou tentar fugir deles ou enterrar num buraco. Para sair da CRISE, temos que ser analítico, realista e criativo, e principalmente ter a consciência que só você é o único responsável pelas soluções, e para solucioná-las, devemos saber que há sempre um tempo para vencer cada ponto focado e acima de tudo saber respeitar esse tempo, e nunca abandonar o planejamento definido. Ser analítico, realista e criativo é fundamental para trazer à consciência da verdadeira resposta que você precisa para solucionar o caos emocional. Vale lembrar que nem sempre a melhor saída é aquela que desejamos, por mais que a julguemos como ideal. Ficar preso a esta insistência atrapalha, porque somente a resposta verdadeira é capaz de por um ponto final na crise.


A Crise também tem um lado bom, pois lhe dará a oportunidade de buscar coisas novas, e ao levantar-se terá a possiblidade de seguir por novos caminhos e que lhe proporcionar a satisfação de receber com prazer os momentos inéditos, mas se você não tem como amenizar suas CRISES, a melhor saída, será optar por um plano simples e funcional, e que seja totalmente gerenciável , só assim, conhecerá uma nova versão do que há de melhor em você mesmo, com o foco no seu mundo real, pois os choros e as fugas não vão resolver os seus problemas, apenas adiará a solução.


O certo é levantar a cabeça e parar de lamentar, porque só você tem o poder de sair do fundo do poço que entrou, e este tem a boca para cima, e ao assumir a sua fraqueza, só lhe resta inverter o seu rumo, subir e subir, deixando de lado seu orgulho e levantar as mãos aos céus, pois lá em cima, sempre haverá alguém querendo te ajudar.


Economista Wilson Carlos Fuáh – É Especialista em Administração Financeira e Recursos Humanos.
Fale com o Autor: wilsonfua@gmail.com