Esta eleição promete muitas baixarias


Vai começar o grande espetáculo político, explodem vaidades e as emoções nos debates são palpitantes e lá vêm ataques pessoais, fatos da história da vida pessoal do candidato vêm a público, com a finalidade de desconstruir a imagem do adversário, e os materiais eletrônicos (Vídeos e Fotos) são divulgados sem dó, e por serem comprometedoras, pode virar escândalos de campanha, promovendo estragos e que são facilmente verificados nas variações das pesquisas.


Durante as convenções ou próximo delas, fica constatado que os partidos políticos tem suas ideologias muito similares, pois todos são muito iguais, mas principalmente porque os partidos viraram apenas meras roupagens para os políticos usarem de acordo com as necessidades momentâneas e os interesses pessoais.


O processo eleitoral nem ainda começou, mas as notícias se sucedem na velocidade instantânea dos Sites, e mesmo assim, não conseguem acompanhar as declarações que acusam e as que defendem, e o nível dos debates vão caindo pela necessidade de destruir aquele que está na frente das pesquisas, ou pelos (des) acertos que se sucedem em cada entrevista cheias de ódios vindas de uma vantagem não conquista, e com isso, os quadros político-partidários vão se modificando, e aquele que era grande companheiro, não é mais, e aquele que não era, agora passa a ser.


O mundo político é muito transitório, as verdades se envelhecem em cada amanhecer e as mentira nascem como erva daninhas e perpetua de acordo as infinitas explicações que chegam ao povo através das “coletivas”. Será que os trabalhadores tem tempo desocupado para acompanhar e entendem o que se passa na cabeça dos políticos e nas entranhas dos partidos?


Mas, infelizmente, o quadro político e as relações políticas estão cada vez se autodestruindo pelos atos não republicanos pelos próprios políticos, por isso, a escolha dos eleitores passa a ser exercida pela exclusão e não pela escolha do melhor candidato, porque este é o novo panorama e que faz parte do contexto político do país.


Economista Wilson Carlos Fuáh – É Especialista emRecursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.
Fale com o Autor: wilsonfua@gmail.com


Mais de Wilson Carlos Fuá