Assassino em série não consegue salvar “O Sétimo Guardião”

Gabriela Mendonça | 21/04/2019 04:35:05

Novela introduziu um serial killer na história e trouxe dinâmica para novela, mas personagens foram mal aproveitados e suas mortes não tem impacto

O recurso do “quem matou?” é usado a exaustão pelas novelas hoje em dia. “O Sétimo Guardião” também decidiu apostar no recurso para dinamizar a trama, mas foi mais eficiente ao colocar um serial killer atrás de personagens específicos.

A ideia reascende o clima de suspense do começo da novela e tem, inclusive, gerado resultado nos números. No começo de abril “O Sétimo Guardião” teve sua melhor audiência, 34 pontos, e ao longo do mês tem conseguido se manter acima dos 30 de média.

Ainda assim, a curiosidade por descobrir quem está por trás dos assassinatos não supera um problema: ninguém se importa muito com quem morreu. Isso porque os guardiães foram mal explorados desde o começo e, com exceção do delegado Machado (Milhem Cortaz), nenhum teve uma história bem desenvolvida.

O que é uma pena, já que os personagens e sua relação misteriosa é um dos  do folhetim. Na última semana, que recebeu a sentença do assassino (Zezé Polessa), que antes disso teve poucos momentos de destaque. Junto com seu corpo um recado dizia: “faltam quatro”.

Dos guardiães ainda ativos porém, apenas dois têm histórias: Ondina (Ana Beatriz Nogueira) que se revelará mãe de Luz (Marina Ruy Barbosa) e Gabriel (Bruno Gagliasso), protagonista da novela. Tanto Aranha (Paulo Rocha) e Eurico (Dan Stulbach) podem partir que pouco mudarão na trama.

A escolha das mortes, inclusive, não faz muito sentido. Depois de Milu, Ondina deve serdo assassino, bem quando sua história fica mais interessante e ganha mais destaque na trama.

Com previsão para terminar em cerca de um mês, esses assassinatos devem ocupar a história principal daqui em diante, junto com a fonte, que é de interesse de Olavo (Tony Ramos). Confusa, a novela vive mudando a motivação dos personagens, e isso também atrapalha a determinação do público em torcer por eles ou contra.

“O Sétimo Gaurdião” pode até ter evoluído com a história do serial killer, mas não o suficiente para fazer com que o público se importe com esses personagens a essa altura do campeonato.

Fonte: IG Gente