Defasado e com estrelas de fora, Grammy tenta se manter culturalmente relevante

IG Gente | 10/02/2019 04:20:03

Premiação musical acontece neste domingo (10) e terá homenagem a Aretha Franklin e Ariana Grande excluída por briga com a produção

O Grammy 2019 vai acontecer neste domingo (10) com Alicia Keys apresentando pela primeira vez. A cantora, que já ganhou 15 vezes ao longo de sua carreira, vai assumir o papel que foi de James Corden nos últimos dois anos.

Os principais no Grammy 2019 são Drake e Kendrick Lamar, o segundo contemplado pela trilha-sonora de “Pantera Negra”. Os dois, porém, se recusaram se apresentar no evento de acordo com o The New York Times.

O jornal entrevistou o produtor do show, Ken Ehrlich, que confirmou que ambos, assim como Childish Gambino, foram convidados para se apresentar no evento, mas recusaram. Nem a presença deles na premiação foi confirmada. A decisão é alinhada com outros artistas, a maioria negros, que tem boicotado o evento por falta de diversidade nos últimos anos.

Com discos celebrados e de sucesso, como “Damn!” de Lamar e “Lemonade” da Beyoncé sem vitórias, o evento foi aos poucos perdendo seu prestígio em parte da comunidade artística, colocando em cheque sua relevância. Jay-Z, Frank Ocean, Justin Bieber e próprio Drake já boicotaram o Grammy antes.

Curiosamente, os artistas com mais indicações nessa edição são majoritariamente negros, incluindo ainda Cardi B (com seis indicações) e a novata H.E.R (cinco indicações). Ainda assim, especialistas apontam que a vitória nas principais categorias deve ir para a cantora country Brandi Carlile, que lançou “By The Way, I Forgive You” em 2018.

Entre os principais indicados, Cardi B e Lady Gaga, contemplada pela trilha sonora de “Nasce Uma Estrela”, se apresentarão. Gaga estará ao lado de Mark Ronson e, embora a maioria das categorias sejam relacionadas ao filme, ela conseguiu uma indicação por “Joanne”. A surpresa ficará por conta de qual faixa eles apresentarão, mas não deve ser Shallow, já que o hit será apresentado no Oscar.

Entre os artistas que já estão confirmados para se apresentar no evento estão ainda Dua Lipa, St. Vincent, Chloe x Halle, Travis Scott, Red Hot Chili Peppers, Janelle Monáe, Post Malone e Shawn Mendes. A abertura vai ter clima latino, com Camila Cabello dividindo o palco com J. Balvin e Ricky Martin. Diana Ross também subirá ao palco para apresentar alguns de seus maiores sucessos.

Um dos momentos já aguardados pelos fãs é a participação do BTS, que irá apresentar uma categoria. Feito raro para um grupo sul-coreano, eles ainda são indicados na noite por “Love Yourself: Tear”.

Além deles, muitos dos indicados da noite podem levar o gramofone dourado para casa pela primeira vez. É o caso de Bjork, Backstreet Boys, Demi Lovato e Fall Out Boy. Shaw Mendes, Cardi B e SZA estão estreando na premiação, além do rapper Mac Miller, que recebeu uma indicação póstuma.

Katy Perry, constantemente lembrada de que nunca ganhou um Grammy, vai dar as caras no evento e se apresentar em um tributo a Dolly Parton. Mas, outro boicote, dessa vez do pop, mais uma vez criou uma sombra na relevância da premiação.

Ariana Grande não entrou em acordo com a organização do evento e ficará de fora da 61ª edição. Ela concorre em seis categorias e queria apresentar seu último single, 7 Rings. De acordo com fontes do Daily Mail, a organização não autorizou a execução da faixa, o que fez com que a cantora desistisse inclusive de aparecer no evento.

Ehrlich também falou sobre a desistência da cantora na entrevista, dizendo que ela decidiu não se apresentar pois sentiu que “era tarde demais” para fazer a performance da maneira que queria. Ariana Grande, no entanto, negoudo produtor e disse que sua “criatividade e autenticidade foram sufocadas” por ele.

Duas grandes artistas serão homenageadas no evento este ano. A primeira delas e a rainha do country Dolly Parton. Ela apresentará suas músicas ao lado da afilhada Miley Cyrus, além de Katy Perry e Linda Perry.

Mas, o grande tributo da noite será em homenagem a Rainha do Soul, Aretha Franklin, morta em agosto de 2018. Três nomes do R&B americano atual, Audra Day, Fantasia Barrino-Taylor e Yolanda Adams ficarão incumbidas de relembrar os sucessos de Franklin, que ao longo da carreira ganhou 28 estátuas.

A Academia Nacional de Artes e Ciências de Gravação vive no momento algo similar com o que a Academia Cinematográfica viveu há alguns anos e tenta se recuperar. A falta de representatividade em todas as categorias do Oscar geraram a campanha “Oscar So White” e, desde então, eles são pressionados para aumentar a diversidade dos votantes e indicados.

Na música, porém, eles não parecem querer seguir o exemplo, e insistem nos mesmos “medalhões” votando e impactando nos indicados e vencedores. Frank Ocean, que foi um dos primeiros a boicotar o evento e não submeteu o disco “Blondie” para indicações, disse na época que não se sentia representado pelo Grammy.

O resultado veio na prática: a edição de 2018 do teve uma queda de seis milhões de espectadores em relação ao ano anterior. Com exceção de 2017, com Beyoncé e Adele como estrelas, a audiência do evento tem caído anualmente. Para mudar isso, a Academia de Gravação terá que ouvir os artistas, ou corre o risco de perder a relevância.

O Grammy 2019 ocorrerá no próximo domingo (10) em Los Angeles, nos EUA. Ao todo, são 84 categorias, mas apenas uma pequena parcela será entregue ao vivo. No Brasil, a cerimônia será transmitida na TNT a partir das 23h.

Fonte: IG Gente