Estranho no ninho de Hollywood, Justice Smith muda de patamar ao lado de Pikachu

Reinaldo Glioche | 15/05/2019 11:35:40

Ator de 23 anos é um dos nomes mais quentes do momento na cena cultural norte-americana e com o sucesso de "Detetive Pikachu" o céu é o limite

“A primeira vez que eu vi o trailer eu até esqueci que estava no filme”, diz Justice Smith, um dos mais jovens talentos em ascensão no cinema norte-americano ratificando a percepção “estranho no ninho” em papo com o iG Gente durante sua passagem por São Paulo em dezembro  para promover “Pokémon: Detetive Pikachu” na CCXP 2018.

Aos 23 anos, Justice Smith já estrelou pelo menos uma produção que é objeto de culto, a série de Baz Luhrmann para a Netflix “The Get Down”. Entre o teatro, estreou uma peça off-Broadawy em janeiro ao lado de Isabelle Huppert, e o cinema, “Detetive Pikachu” marca sua estreia como protagonista de uma superprodução depois da bem-sucedida participação em “Jurassic World: Reino Ameaçado” (20018), o jovem ator, que integrou a mais recente lista de artistas mais poderosos com menos de 30 anos, tenta manter a sanidade.

“Sempre quis ser ator, mas nunca foquei no sucesso disso”, observa. “É tudo muito surreal”. Smith comenta que sente a pressão por estampar o cartaz de uma das grandes produções da Warner em 2019, mas que se “conforta rapidamente” porque a resposta do público ao projeto como um todo tem sido ótima.

De fato, quando o primeiro trailer saiu a desconfiança que pairava sobre a produção evaporou e no primeiro fim de semana em cartaz nos EUA e nos principais mercados, inclusive o Brasil, o longa arrecadou cerca de US$ 170 milhões. Nada mal com os Vingadores na concorrência.

Smith conta que não conhecia o game “Detetive Pikachu” antes de entrar no projeto, mas que entendia a proposta porque já havia jogado muitos games de Pókemon, sendo Pókemon Go o principal deles. Ele até se engajou no jogo que inspira o filme, mas não chegou a termina-lo.

De toda forma, isso não foi uma questão já que há muitos easter eggs no longa para outros jogos e outros pókemons.

O ator admite que foi difícil interagir com o vazio e com fundo verde. “Já é suficientemente difícil atuar com pessoas de verdade, imagina com efeitos especiais”, se diverte. “Mas acho que o visual ficou maravilhoso”.

Ele diz que Ryan Reynolds, que dá voz ao Pikachu, foi ao set uma semana antes deles começarem a gravar para que pudessem estabelecer a dinâmica da relação deles e que este foi “um processo muito divertido já que Ryan é um comediante natural”.

Ainda deslumbrado com o lugar que ocupa e com as perspectivas sobre seu futuro, Justice Smith diz que tenta ver tudo “objetivamente”, mas admite que Pikachu virou seu Pokémon favorito. “Quem não ama o Pikachu”?

Fonte: IG Gente