CIDADE DOS 300

Prefeitura reúne para recuperação do Centro Histórico

Redação 24 Horas News / | 13/02/2019 17:09:06

A parceria englobaria uma série de estratégias, que beneficiariam não só o campo arquitetônico do centro histórico

Com o objetivo de preservar o Centro Histórico de Cuiabá, o secretário de Cultura, Esporte e Turismo do Município, Francisco Vuolo, participou de reunião no Ministério Público de Mato Grosso (MPE), com representantes da Academia de Arquitetura e Urbanismo do Estado de Mato Grosso (AAU/MT) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), na tarde de terça-feira (12).

Durante a reunião, presidida pelo promotor do Núcleo de Defesa do Meio Ambiente Urbanístico, Carlos Eduardo Silva, foram debatidas medidas que possam beneficiar todos os campos, atendendo as necessidades da região de forma mais ampla, eficiente e com qualidade, sem perder suas essências.

Para o promotor, uma das medidas para tentar sanar o problema seria a formação de parceria, envolvendo os órgãos públicos e entidades, juntamente com a população. Ele acrescentou que outro ponto importante para que os projetos aconteçam, é a aceleração do Plano Diretor.  “A convocação para esse encontro é chegarmos em um acordo que não prejudique ninguém e que atenda às necessidades dessa região de forma unificada. A intenção não é procurar culpados e sim uma solução mitigadora para a problemática que se apresenta, onde a mais prejudicada é a nossa história, que se perde a cada ano. Seria importante também que o Município tratasse desse fator cultural no novo Plano Diretor”, disse.

O secretário Vuolo destacou à disposição da gestão atual em promover ações voltados à recuperação desses patrimônios e também lembrou dos trabalhos que o município já vem devolvendo nesta área.

“O prefeito Emanuel Pinheiro tem grande interesse em formar parcerias para, juntos, chegarmos em um denominador comum, que é a preservação das nossas raízes, desse riquíssimo patrimônio, que é o nosso centro histórico. Aliado a isso, já temos promovido algumas ações em prol dessa recuperação. Assumimos a recuperação da Casa de Bem Bem. Vamos   recuperar as partes danificadas, para promovermos a restauração do imóvel, com recursos próprios. Também restauramos o prédio histórico que funciona o Misc, entre outras intervenções. Então, temos total interesse em nos unirmos aos demais nessa luta”, salientou.

Um plano de gestão foi umas das propostas debatidas durante o encontro. Esse plano englobaria uma série de estratégias, que beneficiariam não só o campo arquitetônico do centro histórico, mas como a parte social e econômica da região e traria também consultorias especificas para os projetos.  

A medida foi proposta por Eduardo Chiletto, representante da Academia de Arquitetura e Urbanismo do Estado de Mato Grosso (AAU/MT). Ele dispôs de um valor de U$ 63 mil para desenvolver esse plano. O recurso, Eduardo explicou, é oriundo da Partnership for Action on Green Economy (Page), em português Parceria para Ação sobre Economia verde. A Entidade desenvolve políticas estratégicas para a área em todo o mundo, empregando o conhecimento e o amplo poder de convocação de cinco agências da ONU - Organização Internacional do Trabalho (OIT), Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), entre outras.

“Já estamos em fase de desenvolvimento desse plano e temos esse valor para executarmos as ações. O recurso é fruto de um luta minha e de vários apaixonados pelos elementos que ajudam a contar nossa história. Assim, falando em nome dos órgãos que represento, nos colocamos à frente para construir essas ações e executá-las na melhor forma possível. O que não pode acontecer é cruzarmos os braços e deixarmos nossos patrimônios se deteriorarem”, declarou.

O promotor acolheu a proposta do plano, solicitou também que as partes presentes, principalmente o Iphan, providenciassem um levantamento desses casarões do centro histórico. Ao final, ficou acordado um prazo de 30 dias para que fossem apresentados os dados, assim como demais propostas.