Brasileiro é alvo de racismo na Rússia

Ig Esportes | 18/03/2019 13:40:03

Atacante Ari, do Krasnodar, foi alvo de declarações racistas e xenófobas de Pavel Pogrebnyak, atleta do FK Ural. Ari se naturalizou russo em 2018

Infelizmente o racismo e a xenofobia têm crescido no futebol. Neste fim de semana, uma declaração do jogador russo Pavel Pogrebnyak, do FK Ural, chamou atenção no mundo.

Pavel expressou ao site russo Sport Express seu racismo. “Tenho uma opinião negativa a respeito (das naturalizações). Não vejo sentido. Por que deram um passaporte russo a Ari? Nesta posição nós temos Igor Smolnikov. Poderíamos muito bem seguir sem estrangeiros (na seleção). A ridículo que pessoas de cor joguem na seleção russa”.

O jogador ao qual Pavel se refere é o brasileiro Ariclenes da Silva Ferreira, mais conhecido como Ari, que atua pelo Krasnodar e foi convocado pela primeira vez para defender a seleção russa no fim do ano passado.

Ari tem 33 anos e se naturalizou russo no início de 2018. Ele atua no país há oito anos e, em , comentou que a chance de vestir a camisa da Rússia era a ‘realização de um sonho de criança’.

Ari é natural de Fortaleza, no Ceará, e iniciou sua carreira no Avaí em 2003. Como profissional jogou pelo time da capital cearense por um ano e se transferiu para a Rússia defendendo Kalmar, AZ Alkmaar, Spartak Moscou e Lokomotiv.

A declaração de Pavel Pogrebnyak causou espanto e indignação ao Departamento de Luta contra a Discriminação da União de Futebol da Rússia. O representante do órgão, Alexandr Baranov, repudiou a fala do atleta.

“As declarações são muito questionáveis e claramente não estão em concordância com os princípios da campanha mundial contra o racismo. Não se pode definir o lugar de um futebolista em uma seleção baseando-se na cor da pele”, declarou Alexandr.

Até o momento as redes sociais da Seleção Russa de Futebol não se posicionaram sobre as declarações de Pogrebnyak, assim como os times dos respectivos atletas.

A seleção russa foi convocada na segunda-feira passada (11) para as Eliminatórias da Eurocopa 2020. A equipe enfrenta a Bélgica no dia 21 de março e o Cazaquistão no dia 24.

Além de Ari, alvo de racismo do atleta do FK Ural, o brasileiro Mário Fernandes também se naturalizou russo e chegou a ser titular da equipe na Copa do Mundo do ano passado.