Cris Brittes pediu para não matar Daniel dentro de casa, revela testemunha

Ig Esportes | 22/02/2019 10:10:05

Segundo testemunhas relataram, a mulher de Edison Brittes, o assassino confesso, não incentivou o homicídio

A Justiça do estado do Paraná divulgou alguns vídeos das primeiras audiências realizadas sobre o caso Daniel, que investiga a morte do jogador de 24 anos de idade no mês de outubro do ano passado, em São José dos Pinhais.

De acordo com o material sobre o caso Daniel, uma das testemunhas sigilosas disse que ouviu Cristiana Brittes, mulher do assassino Edison Brittes, falando para Allana Brittes, filha do casal, a seguinte frase: "Não deixem matar ele aqui dentro de casa".

"Daí a Allana olhou pra ela (Cristiana) e falou: 'Mãe você sabe como é o pai', e saiu", comentou a testemunha durante a audiência.

A testemunha disse ainda que a frase dita por Cris Brittes não seria, na sua opinião, um incentivo ao crime, inocentando a mulher de Edison no assassinato. "No meu ponto de vista, não. Eu sentei lá. Fiquei chocada. Sem saber o que fazer", contou.

Uma outra testemunha citou uma frase duferente que teria sido dita por Cris sobre o mesmo momento daquela fatídica manhã na casa da família Brittes. "Não deixa seu pai fazer isso dentro da minha casa. Você sabe como ele é", disse Cristiana, segundo outra versão.

Essa outra testemunha também foi questionada se considerava que Cristiana estaria incentivando o crime ao dizer essa frase. "No meu ponto de vista, não", avaliou.

Em um relato de uma terceira pessoa, dois homens que estavam na casa da família Brittes tentaram intervir nas agressões contra Daniel, mas que "não tinha o que fizesse parar". De acordo com essa terceira testemunha, nenhuma mulher tentou evitar o espancamento.

"A Stephany foi tentar chamar o Samu, e o Edison mandou todo mundo fazer nada e ficar quieto", disse. 

Outra testemunha contou que quatro pessoas agrediram o jogador na casa e que Edison estava visivelmente alterado e irritado com Daniel. "O Edison falava: 'olha, o cara tava estuprando a minha mulher'", contou. 

No total, 10 testemunhas de acusação e três informantes foram ouvidos pela juíza Luciani Martins de Paula entre segunda-feira e quarta-feira desta semana no Fórum de São José dos Pinhais. Os depoimentos do caso Daniel serão retomados no início do mês de abril.