LUTO

Ex-jogador de Palmeiras e Santos morre atropelado

Redação 24 Horas News/ | 09/06/2018 17:58:03

Mococa sforeu o acidente em sua cidade natal na noite da última sexta-feira

O futebol brasileiro perdeu um jogador que fez muito sucesso nos anos 1980/90. Morreu na noite desta sexta-feira o ex-cabeça de área Mococa, que teve destaque no Palmeiras, Santos e Bangu-RJ.

Mococa tinha 60 anos, era alcoólatra e acabou morrendo atropelado quando caminhava por uma rodovia. Segundo informação da Polícia Militar Rodoviária, o ex-atleta foi atropelado no Km 278 da rodovia SP-340, na cidade de Mococa, interior do estado de São Paulo, por volta das 21:30 horas. O ex-jogador ainda acabou sendo levado para um hospital em São José do Rio Pardo, mas não resistiu e acabou falecendo. O motorista, que conduzia um veículo de cor vermelha, fugiu do local sem prestar socorro.

A prefeitura da cidade de Mococa decretou luto de três dias e os clubes que Mococa vestiu as camisas lamentaram a morte do ex-jogador em seus sites oficiais. Mococa será enterrado às 17 horas desse sábado na cidade de Mococa.

TUDO DE MOCOCA
Batizado Gilmar Justino Dias, Mococa tinha esse apelido em homenagem a sua cidade natal onde nasceu em 10 de março de 1958. Sua carreira como jogador teve início no Palmeiras no final dos anos 1970, com Mococa surgindo como sucessor do lendário Dudu, após um período em que Pires foi o dono da camisa cinco palmeirense. Antes, para ganhar experiência, foi emprestado ao Noroeste de Bauru.

Mococa chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira e também jogou no Santos e Bangu-RJ, na fase de ouro do time do subúrbio carioca. Depois, já sem a mesma dinâmica, Mococa começou a vestir de camisas de menor expressão como Cabofriense-RJ, Atlético de Três Corações e Rio Branco de Americana, até encerrar a carreira na conhecida equipe de sua cidade: Radium. O ex-volante ainda teve uma rápida passagem pelo futebol do Equador.

Após "pendurar as chuteiras", Mococa não teve controle emocional para aceitar que não era mais "famoso" e caiu no alcoolismo. Sem nenhum dinheiro e residindo com sua mãe em uma pequena casa da cidade de Mococa, o ex-jogador sobrevivia de pequenos cachês e jogos de veteranos.


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News