Internacional é condenado por assédio de jogadores a ex-funcionária

| 18/09/2017 12:15:06

Inter deverá pagar R$ 5 mil para ex-historiadora de museu do clube gaúcho

Estádio Beira-Rio, casa do Internacional
Reprodução/ Facebook
Estádio Beira-Rio, casa do Internacional

O Tribunal Superior do Trabalho condenou o Internacional a indenizar uma ex-funcionária por assédio moral praticado por seus jogadores da categoria de base. A historiadora que não teve seu nome divulgado trabalhou durante três anos no museu do clube e alegou ter recebido tratamentos insustentáveis dos atletas.

De acordo com a "Folhapress", no refeitório a mulher recebia comentários do tipo "gostosa", "linda", "cheirosa", além de assobios e risadas. Assim, teria feito um comunicado a sua superior, que a recomendou para "não dar bola", enquanto a assistente social do Internacional lamentou o ocorrido, mas afirmou que nada poderia ser feito.

O fato foi confirmado por testemunhas, que comprovaram as atitudes dos jogadores. Segundo os relatos, os garotos ainda convidavam a mulher para sair e mantinham tratamento depreciativo. A historiadora ainda alega que a gerente geral do museu do clube gaúcho chegava a acusá-la de apresentar falsos atestados médicos para deixar de trabalhar.

O Sport Club Internacional de Porto Alegre havia entrado com um recurso, que foi negado pelo TST e assim deverá pagar R$ 5 mil, já que os fatos foram considerados graves e ressalta-se ainda, que a maioria dos acusados são adolescentes. Além disso, fazem parte de "tratamentos machistas e constrangedores que não podem ser admitidos em um ambiente de trabalho".