ESPORTE E SONHO

MPT apoia projeto de karatê e realiza sonho de crianças de VG

Redação 24 Horas News / MPT | 17/10/2018 16:01:23

O projeto “Karatê Lutando pela Paz” foi criado 19 de maio 2017 e, na época, atendia 14 jovens. Hoje, já são 83 crianças cadastradas

Fotos: Projeto Karatê Lutando pela Paz

O Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) destinou cerca de R$ 13 mil em materiais esportivos para o projeto “Karatê Lutando pela Paz”, mantido pela Paróquia Santo Antônio, no bairro Ouro Verde, em Várzea Grande. Os valores destinados são provenientes de indenizações por danos morais coletivos pagas por uma construtora que praticou irregularidades trabalhistas.

O projeto é voltado a todos os públicos, de crianças de quatro anos até idosos, e foi contemplado com quimonos, luvas, capacetes, sacos de pancada, protetores de tórax, entre outros, utilizados em aulas práticas ministradas duas vezes por semana por professores voluntários.

Segundo a coordenadora do projeto, Maria da Penha Ferreira, a iniciativa surgiu da experiência da Pastoral da Sobriedade, criada pela Paróquia Santo Antônio para dar apoio a dependentes químicos e a seus familiares, e diminuir as situações de risco e vulnerabilidade social. “Percebemos a necessidade de criar um projeto para que os alunos não se envolvessem com ‘coisas erradas’”, conta. O projeto “Karatê Lutando pela Paz” foi criado 19 de maio 2017 e, na época, atendia 14 jovens. Hoje, já são 83 crianças cadastradas. 

Simony Duarte da Costa Castrillon tem cinco filhos inscritos nas aulas de karatê, de quatro, seis, nove, 11 e 15 anos de idade. A mãe relata que um deles já participou de competições e ganhou medalhas de ouro e de prata. Simony auxilia, como voluntária, na limpeza da quadra onde as atividades ocorrem e explica que não tinha como comprar os quimonos. Conta que sempre quis que os filhos praticassem esportes, primeiro porque, segundo ela, “o esporte ajuda na disciplina”, e, segundo, porque “o bairro é perigoso, não tem praça e o projeto tira eles da rua”. “Os meninos entraram sem saber absolutamente nada, aprendem tudo lá”, complementa. 

Afastar crianças e adolescentes das ruas, drogas e violência e mantê-los ocupados com atividades educativas, esportivas e culturais são alguns dos objetivos de projetos socioesportivos como o “Karatê Lutando pela Paz”. Por meio da brincadeira e do lazer, a criança aprende a desenvolver suas habilidades e vai aos poucos adquirindo os conhecimentos necessários para a vida adulta. 

Vários estudos vinculam a atividade física ao bom funcionamento da memória e da concentração, ao impacto significativo no desempenho escolar e na diminuição da evasão. Além disso, projetos que têm como foco o esporte ajudam a desenvolver a ideia de cidadania. Helena Vieira de Arruda Leite conta que ela e os dois filhos frequentam o projeto desde a criação e que depois da destinação feita pelo MPT ganharam os uniformes que antes não tinham condições de comprar. “Meu filho matava aula, dava problema na escola, era muito rebelde. Depois do projeto melhorou muito”.

O procurador do MPT Rafael Mondego fala sobre a sua atuação no caso. "É recompensador para o órgão ver refletido na sociedade, também mediante destinações bem feitas, o resultado da sua atuação. No caso, é evidente o efeito positivo de colaborar com um projeto que, por meio do esporte, transforma vidas".


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News