Rincón revela detalhes da sua relação com traficantes no futebol colombiano

Ex-jogador falou sobre seu relacionamento com os irmãos Rodriguez Orejuela, chefões do Cartel de Cali

| 13/09/2017 10:25:06
Freddy Rincón contou detalhes da influência dos traficantes no futebol colombiano
Twitter / Reprodução
Freddy Rincón contou detalhes da influência dos traficantes no futebol colombiano

O ex-jogador Freddy Rincón é bastante conhecido pelos brasileiros por conta das suas boas passagens por Palmeiras, Corinthians e Santos na década de 90 e começo dos anos 2000. Antes de desembarcar no Brasil, porém, o meio-campista consolidou sua carreira na Colômbia, atuando por Tolima, Independiente Santa Fe e América de Cali.

E foi no futebol colombiano, mais especificamente defendendo as cores do América, que Rincón conheceu os irmãos Rodríguez Orejuela, chefões do Cartel de Cali, extinta organização criminosa que era responsável pela entrada e saída de drogas do país.

Miguel e Gilberto decidiram investir parte do dinheiro arrecadado com o tráfico no futebol. "Eles eram os donos do clube e do passe dos jogadores. Eles mandavam e nós obedecíamos. É coisa do futebol, né? Independente do que acontecia, eles eram os chefes e nós fazíamos o que determinavam", disse o ex-meia em entrevista à Fox Sports Latina.

Miguel e Gilberto, os irmãos Rodríguez Orejuela que comandavam o Cartel de Cali
Reprodução
Miguel e Gilberto, os irmãos Rodríguez Orejuela que comandavam o Cartel de Cali

"Eu sempre fui acostumado a respeitar os patrões, então eu obedecia a todas as ordens que eles davam. Queria ser campeão. Era mais ou mnos assim", continou Freddy Rincón, que revelou como foi sua negociação para o Palmeiras, em 1994.

"Os dois já haviam me impedido de deixar o clube em algumas ocasiões, mas em 1994 chegou essa oferta do Palmeiras e perguntei a eles se me deixavam sair para o Brasil. Jogar fora era um sonho que eu tinha. O América sabia que dirigentes palmeirenses haviam ido à Colômbia para falar comigo e fiquei surpreso quando me liberaram, até porque haviam rejeitado outras ofertas", lembrou o colombiano.

Sem problemas com o narcotráfico

Além de Santos, Palmeiras, Corinthians e Cruzeiro, o ex-atleta também defendeu as cores do Real Madrid, entre 1995 e 1996, além da boa performance com a seleção colombiana entre 1990 e 2001. Na entrevista, ele deixou claro que nunca recebeu qualquer ameaça do Cartel de Cali. 

"Dentro do futebol sempre falam esse tipo de coisa, mas nós jogadores nunca fomos incomodados. Ameaçados? Não, sempre estiveram do nosso lado. Os atletas de futebol na Colômbia não tiveram problema com o pessoal do narcotráfico. Os problemas deles eram resolvidos entre eles", finalizou.

Vale lembrar que, em 2007, Freddy Rincón ficou 123 dias detido em uma prisão de São Paulo, sob a acusação de tráfico e de fazer parte de uma quadrilha de lavagem de dinheiro. "Sei que a vingança não é o sentimento ideal, mas não vou perdoar quem fez a minha família sofrer tanto", disse o colombiano naquela ocasião, depois de deixar a cadeia.



ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News