Seleção inglesa recebe recomendação de não usar Wi-Fi na Rússia em 2018; entenda

Medo de hackers russos fez com que entidade de futebol inglesa desse recomendações a jogadores e comissão técnica da equipe nacional

| 12/09/2017 10:35:06
Dele Alli, jogador do Tottenham Hotspur e da seleção inglesa de futebol
Reprodução
Dele Alli, jogador do Tottenham Hotspur e da seleção inglesa de futebol

Os jogadores e comissão técnica da seleção inglesa de futebol já foram avisados: eles não deverão utilizar qualquer rede Wi-Fi de locais públicos e nem dos hotéis nos quais ficarem hospedados na Copa do Mundo da Rússia em 2018. O motivo? Medo de hackers.

A Football Association, entidade responsável pelo esporte na Inglaterra, foi quem deu o alarme para a seleção nacional do país. A apreensão é de que importantes informações vazem durante o maior evento de futebol do mundo. Ou seja, conversas sobre escalações, lesões e esquemas táticos fossem expostos.

De acordo com a rede britânica "BBC", a preocupação gerou maior notoriedade depois que alguns hackers russos divulgaram informações sobre doping no futebol. Após o ocorrido, a Federação Inglesa de Futebol contatou a Fifa para poder colocar em questão seus receios em relação ao uso da internet na Rússia.

"A Fifa informou à FA que continua empenhada em prevenir ataques de segurança em geral e que, em relação ao ataque de Fancy Bears em particular, está investigando o incidente para verificar se a infra-estrutura da Fifa foi comprometida. É por esta razão que a Fifa não pode, nem fornece conselhos de segurança de informática a terceiros", disse um porta-voz da entidade máxima de futebol.

A preocupação da Football Association levou a entidade a fortalecer firewalls online e passar a utilizar senhas encriptadas para seus sites e dispositivos. Além disso, a organização ressalta aos jogadores que tenham cuidados redobrados em relação às suas redes sociais.


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News