À espera de deputados, Câmara suspende sessão da Previdência

Otávio Augusto | 12/07/2019 11:00:23

A Casa retomou os trabalhos por volta das 9h50 para concluir a votação em primeiro turno. Ainda faltam ser votados oito destaques

Rafaela Felicciano/Metrópoles

No quarto dia de discussão da reforma da Previdência, a Câmara abriu, mas suspendeu minutos depois a sessão para retomar a análise dos destaques que alteram o texto-base que altera as regras de aposentadoria. Ainda faltam serem votados oito destaques nesta sexta-feira (12/07/2019).

Sem deputados suficiente para iniciar a votação — são necessários 257 —, a sessão acabou suspensa.

O quórum minimo de 51 parlamentares só foi atingido cerca de uma hora depois do horário convocado para a sessão, às 9h. Com essa quantidade de deputados na Câmara é possível fazer debates, mas não votações.

Reunião com líderesO presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se reuniu com líderes partidários para costurar o fim da votação em primeiro turno da reforma da Previdência. O encontro aconteceu na Residência Oficial da Câmara, no Lago Sul, em Brasília.

O secretário especial da Previdência Social, Rogério Marinho, e o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, estiveram no café da manhã junto com os líderes Arthur Lira (PP-AL), Baleia Rossi (MDB-SP) e do bloco da maioria, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Madrugada a dentroJá era madrugada desta sexta-feira quando o presidente da Câmara encerrou a sessão no plenário. A intenção dele era terminar a análise de todos os destaques ainda na quinta-feira (11/07/2019).

Entre as mudanças aprovadas nesta quinta-feira, estão a alteração na fórmula de cálculo do benefício para mulheres, do tempo mínimo de contribuição para homens e das idades mínimas que serão exigidas de policiais federais e civis do DF (pagos com recursos da União).

Jornalista: Otávio Augusto