Conheça a tecnologia que pode trazer a imortalidade aos humanos até 2045

| 18/08/2017 11:05:05

O 2045 tem o intuito de dar a imortalidade aos seres humanos, com a transferência de suas personalidades para um portador superior ao corpo

A Fonte da Juventude de Heródoto. A Pedra Filosofal de Rowling. Esses são só alguns exemplos do enraizamento da imortalidade na consciência criativa da humanidade. Entretanto, nos dias de hoje, a juventude eterna pode sair do imaginário e se tornar uma realidade graças aos desenvolvimentos tecnológicos.  

Tanto o Kurzweil quanto o programa 2045 previram que a singularidade da máquina-humana pode ser alcançada até 2045. O movimento 2045, fundado pelo bilionário russo Dmitry Itskov em 2011, tem o intuito de dar a imortalidade aos seres humanos, com a transferência de suas personalidades para um portador superior ao corpo humano. A ideologia do movimento é "criar tecnologias que permitam transferir a personalidade de um indivíduo para um transportador não biológico mais avançado, que amplie a vida”.

Os quatro caminhos

Programa 2045 pode trazer a imortalidade os seres humanos
Reprodução/Futurism
Programa 2045 pode trazer a imortalidade os seres humanos

O programa encontrou quatro caminhos principais para tornar os humanos imortais. Cada um deles reflete um passo cronológico no projeto, representando um grau adicional de desencarnação.

O Avatar A visa dar ao controle do cérebro humano um robô humanoide remoto, com a utilização de uma interface cérebro-computador (BCI). Embora isso possa parecer estranho, devemos lembrar que o controle de robôs usando o pensamento foi alcançado há uma década. Esta tecnologia foi acelerada pelos avanços atuais no campo das próteses, evidenciando como o sistema nervoso humano é capaz de se conectar a elas.

O Avatar B, ao invés de controlar um corpo remotamente, irá implantar o cérebro no próprio corpo. O processo previsto é "desligar" o cérebro e depois transplantá-lo. Como é teoricamente um corpo robótico, nesse estágio há a criação de uma consciência que habita um corpo que pode ser modificado, aumentado ou atualizado.

Já o Avatar C refere-se a próxima etapa de encarnação, prevendo um corpo completamente robótico ao qual o cérebro pode ser carregado. Hipoteticamente, isso exigiria soluções de hardware e software que possibilitassem o carregamento da consciência, posteriormente inserida em um ou mais corpos robóticos. Desse modo, o cérebro se torna informatizado de maneira personalizada e o robô, sensível.

Em relação ao Avatar D, o programa não disponibilizou muitas informações. Porém, a ideia é a criação de um holograma como avatar ou uma mente independente.

Os contras da juventude eterna

A atualização dessa tecnologia não é a única questão em aberto. Afinal, ela deve ou não existir definitivamente?  A possibilidade de tornar o ser humano imortal pode ter profundos efeitos sobre o mesmo, impactando também a sociedade como um todo.

A ideia de juventude eterna é cercada de aspectos positivos e negativos. A eliminação do medo de morrer e as chances de fazermos mais coisas ao longo da vida são alguns dos benefícios. Já a pressão sobre os recursos, problemas psicológicos associados à idade extrema e o estresse causado pelas estruturas sociais são as maiores desvantagens.

Este dilema é uma reminiscência da Sibília Cumaeana de Ovídio, onde pediu a vida eterna ao invés da juventude eterna, o que fez Apollo deixá-la apodrecer, até que se deteriorasse. Assim, quando lhe sobrou apenas a voz, passou a mantê-la dentro de uma jarra. Tomando a historia como moral, é importante considerar o que desejamos com o alcance da imortalidade, para que o ser humano não se torne uma imitação da vida .

*Com tradução do Futurism.com