Deputado sugere a Bolsonaro criar "secretaria de desesquerdização"

Metrópoles | 14/03/2019 17:50:02

Para Heitor Freire (PSL-CE), vitória da direita não foi suficiente para expurgar de forma imediata os agentes da esquerda na gestão pública

O deputado Heitor Freire (PSL-CE) apresentou na Câmara, nessa quarta-feira (13/3), requerimento em que propõe ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) a criação de uma “Secretaria Especial de Desesquerdização da Administração Pública”, como órgão da estrutura do Poder Executivo. A justificativa, segundo ele, é o fato de ser “público e notório” que o país foi “palco de assaltos ao longo de mais de duas décadas de governos esquerdistas, especialmente pelo Partido dos Trabalhadores”.

Na proposta apresentada, Freire pede que seja observado o “aparelhamento gradual do Estado realizado por militantes de esquerda e seus sindicalistas”.

“Os danos causados ao Brasil foram imensuráveis, tendo como consequência o rombo escancarado dos cofres públicos para o seu autofinanciamento, jogando o país no caos em todas as áreas, desde a econômica até a nossa juventude, envenenada pelo comunismo e pela famigerada ideologia de gênero”, expõe o parlamentar.

Para o deputado cearense, a vitória da direita nas últimas eleições presidenciais, “embora importantíssima”, não foi suficiente para “expurgar de forma imediata os agentes da esquerda infiltrados na administração pública”.

“São frequentes as denúncias de todo o país que nos chegam sobre os ‘técnicos’ que mudaram seu discurso, seja para manter de seus cargos na Administração Pública, seja  para pleitear nomeações, objetivando, de maneira camuflada, boicotar o Governo por dentro”, reitera Heitor Freire.

Segundo ele, a “Secretaria Especial de Desesquerdização da Administração Pública Federal” faria um amplo controle, fiscalização, identificação, mapeamento e monitoramento”. Como resultado, ele ressalta, o presidente exoneraria “todo aquele agente de esquerda que atue de forma oculta e que continue trazendo danos diretos e indiretos para a sanidade desta nação”.

Soldado quer ser secretário Heitor Freire encerra a solicitação se apresentando ao presidente Bolsonaro como postulante ao cargo de futuro “secretário especial de Desesquerdização. “Nesta oportunidade, este soldado se coloca ainda à vossa disposição para assumir tal empreitada, colocando inclusive meu mandato eletivo à disposição do vosso chamado, se preciso for”, afirma.

Jornalista: Carlos Estênio Brasilino