CRÍTICAS AO GOVERNO

Dilmar Dal Bosco diz que fundo criado por Taques não passa na AL

Jornalista Jonas Jozino | 21/03/2018 11:17:56

Para Dilmar, o projeto é na verdade um “tiro no pé” do Governo e pode trazer resultados inversos ao esperado, como, por exemplo, a redução no consumo.

Depois de ter deixado a liderança do Governo na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Dilmar Dal´Bosco, vem mostrando estar bastante aliado com seu partido o DEM, que não vem poupando tempo e palavras para criticar o atual governo. Dal´Bosco disse a proposta do  governador Pedro Taques de criar o Fundo Emergencial de Estabilidade Fiscal (FEEF), que tem expectativa de arrecadar até R$ 500 milhões em um ano é totalmente inviável e descabido.

O parlamentar disse que a Assembleia Legislativa não pode aprovar a criação de um fundo que tende a aumentar o peso dos impostos no preço final dos produtos em Mato Grosso. Para Dilmar, o projeto é na verdade um “tiro no pé” do Governo e pode trazer resultados inversos ao esperado, como, por exemplo, a redução no consumo.

 “No meu ponto de vista o fundo é um tiro no pé. Aumentando a alíquota tributária, a alíquota de ICMS, significa que você vai tirar o poder de compra do consumidor”, disse o deputado, durante sessão na última terça-feira (21).

“Vejamos, no setor de material de construção, por exemplo, aumentando a alíquota você aumenta o percentual hoje em cima dos 10,15% do material de construção. Indo a 12,15%. Significa um aumento de 19,70%. Se a pessoa teria o dinheiro pra investir em dez sacos de cimento, ela vai deixar de consumir os dez e vai comprar somente oito. O efeito será o inverso”, afirmou o democrata.

 Dilmar citou ainda que um aumento de tributos no Estado traz também uma insegurança jurídica aos contribuintes. 

“Vamos tirar o poder de compra de qualquer consumidor do Estado. Então, sou radicalmente contra o aumento de carga tributaria, até porque não vamos conseguir gerar emprego”, disse o deputado.