CRIMES EM SINOP

Dois são assassinados a tiros em Sinop; um foi durante briga em bar

Jornalista Jonas Jozino | 14/04/2019 12:21:27

Patrick morreu na calçada do bar. No local, a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) encontrou quatro cápsulas de pistola calibre 380.

Patrick Sutero Cunha de Sousa, 24 anos, foi assassinado, durante a madrugada, em um bar localizado na rua das Primaveras, no bairro Parque das Araras. A vítima teria entrado em luta corporal com o suspeito, quando acabou atingida por tiros, não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

Um segurança do estabelecimento foi ouvido pela Polícia Civil e declarou que o acusado de cometer o crime, ao chegar no local, se identificou como policial militar. Ele afirmou ainda que o suspeito apresentou carteira funcional de identificação. Conforme o relato, por volta de 1h40, o homem acabou se envolvendo em uma confusão com Patrick e ambos “entraram em vias de fato”.

A testemunha relatou também que presenciou alguns disparos de arma de fogo dentro do estabelecimento e mais um do lado de fora. Patrick morreu na calçada do bar. No local, a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) encontrou quatro cápsulas de pistola calibre 380.

Patrick era morador do Jardim Violetas. O corpo dele foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). Ainda não foram divulgadas informações sobre os procedimentos fúnebres.

O suspeito fugiu do local e, até o momento, não foi identificado. O caso segue sob investigação da Polícia Civil.

Este foi o segundo assassinato neste sábado à noite em Sinop. No Jardim Boa Esperança, Fabrício Cardoso Pereira, 19 anos, foi atingido por tiros, conseguiu correr e caiu na área de uma casa. O criminoso teria fugido em um carro preto, segundo relatos feitos para policiais.

Um homem informou à polícia que estava em casa com a esposa, quando ouviu disparos. Segundo ele, os tiros “começaram com certa distância, foram se aproximando e um deles foi disparado provavelmente já dentro do quintal da casa”. O dono da residência disse que não conhecia a vítima e que a única explicação para ela estar no local era ter tentado fugir do assassino.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foi acionada e constatou que Fabrício foi atingido por, pelo menos, quatro tiros. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para exame de necropsia. Ainda não há informações sobre procedimentos fúnebres.