PROTESTO ACADÊMICO

Em protestos contra cortes, comunidade acadêmica realiza ato na UFMT nesta terça-feira

Jornalista Jonas Jozino | 10/09/2019 07:56:14

O ato será realizado às 10h30 na Reitoria. A principal reivindicação é a retirada imediata do Ofício nº 10/2019, e a construção do debate sobre quais caminhos a universidade deve adotar

Os trabalhadores técnico-administrativos da UFMT, estudantes e professores, farão um ato unificado nesta terça-feira (10.09) contra as medidas de "austeridade" implementadas pela Reitoria nesta segunda-feira (09.09). Por meio de um ofício, a administração da universidade encerrou uma série de serviços ofertados a comunidade acadêmica e ainda pediu a demissão de uma série de trabalhadores.

"Não houve nenhum tipo de discussão. A comunidade acadêmica foi surpreendida pelo ofício da Reitoria. Haverá demissão nos trabalhadores da segurança, limpeza, e mesmo administrativo. O Restaurante Universitário será fechado durante o recesso, o Ligeirão deixou de existir, e a Jornada Contínua que mantém a universidade aberta a comunidade por no mínimo 12 horas foi extinta. A UFMT está fechando as portas dia após dia, ao invés de lutar contra os cortes no orçamento. Não podemos aceitar este cenário", destacou o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos, Fabio Ramirez.

O ato será realizado às 10h30 na Reitoria. A principal reivindicação é a retirada imediata do Ofício nº 10/2019, e a construção do debate sobre quais caminhos a universidade deve adotar. "A administração não apresentou um estudo técnico para viabilizar essa proposta de cortes. Por exemplo, eles vão fechar as quadras no período noturno, toda a comunidade perde, e dizem que a soma dessas ações vai economizar R$ 3,5 milhões, como? Vão fazer apagões programados no campus, ou seja, cada hora um setor fica às escuras. É este o melhor caminho? A UFMT está entrando na UTI e a sociedade não está sabendo. Ela muito em breve pode fechar as portas", reforçou a também coordenadora do Sintuf, Luzia Melo.

As medidas de contenção de gastos da UFMT ainda preveem o fim de toda a manutenção do campus. Serviços como marcenaria, serralheria, cópias de chave, reformas estão todos suspensos.