Em último programa, Boechat cobrou justiça para caso Brumadinho

Metrópoles | 11/02/2019 14:30:02

O jornalista morreu nesta segunda-feira (11/2), após acidente de helicóptero na Rodovia Anhanguera, na cidade de São Paulo

Em seu último programa, o jornalista Ricardo Boechat – morto nesta segunda-feira (11/2), após acidente de helicóptero na rodovia Anhanguera, na cidade de São Paulo— relembrou as tragédias de Brumadinho e do incêndio no Ninho do Urubu.  No programa exibido por volta das 7h30, o radialista cobrou apuração das autoridades.

“É preciso que as consequências sejam mais rápidas no campo da ação policial e do Ministério Público, para que não fique no ‘oba-oba’, depois apoiado pelo nosso esquecimento. Negligência e impunidade marcam as tragédias no país”, ressaltou o radialista.

Confira o programa na íntegra:

Notícia

A revelação de que o jornalista tinha morrido foi dado ao vivo na rádio Band. A jornalista Sheila Magalhães foi quem revelou a informação. “Boechat apresentou o noticiário da Band News logo pela manhã, esteve em Campinas para um evento de um laboratório farmacêutico, foi a bordo de um helicóptero, acompanhado de um piloto”, descreveu. “Ele pegou o helicóptero por volta das 11h50 da manhã e pousaria no grupo Bandeirantes por volta do 12h15, o que não aconteceu”, disse.

Por volta das 14h, a Band News informou, via programação da rádio, que sairiam do ar. Eles pediram desculpas aos ouvintes, mas disseram que não estavam em condições de continuar a programação. Na sequência, ficou apenas a vinheta no ar.

Na Band, canal que ele trabalhava, o apresentador José Luiz Datena foi quem informou a morte. Ele chorou no momento. “Se o Boechat tivesse aí vivo agora, ele diria que a vida vale a pena para caramba”, disse.

Jornalista: Raquel Martins Ribeiro