Forças de segurança prendem 160 autores de crimes em Mato Grosso

| 28/08/2017 12:35:08

Lenine Martins/Sesp-MT

Em 48 horas de operação “Bairro Seguro”, deflagrada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), 160 pessoas foram presas por delitos criminais. Foram cumpridos ainda 32 mandados de busca e apreensão e apreendidos 314 veículos e 27 armas de fogo.

As ações das forças de segurança foram realizadas nos 141 municípios de Mato Grosso e buscou prender autores de roubo. A operação começou na manhã de quinta-feira (24.08) e terminou na sexta-feira (25.08).

Nos dois dias de operação “Bairro Seguro” 12.526 pessoas e 2.657 veículos foram abordados, 28 veículos foram recuperados e mais de quatro quilos de drogas apreendidas. O Corpo de Bombeiros Militar realizou ainda 87 fiscalizações a estabelecimentos comerciais.

“Mais uma vez o sistema de segurança pública, com dedicação e energia, retira de circulação centenas de criminosos, dezenas de armas de fogo e drogas ilegais. Ainda há muito o que fazer, entretanto, estamos motivados e lutaremos incansavelmente pelas pessoas de bem de Mato Grosso”, destacou o secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas.

A Operação Bairro Seguro é fruto de um planejamento integrado em todos os níveis de ação: estratégico, tático e operacional. As ações fazem parte da metodologia de trabalho da Secretaria de Estado de Segurança Pública para o enfrentamento da criminalidade.

Somente em 2017, já foram deflagradas oito operações em todo o Estado. Nas sete primeiras edições houve um montante 76.720 pessoas abordadas e 1.086 presas em flagrante. Foram ainda cumpridos 624 mandados de prisão, internação cautelar e prisão temporária e apreendidos 327 kg de drogas e 251 armas de fogo. 

Ao todo, mais de 1.700 profissionais da Polícia Militar (PM), Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) participaram das ações repressivas e preventivas. O helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) também deu apoio no cumprimento dos mandados.