BICHO DA MORTE

Homem conta como escapou da morte a mando de Arcanjo em MT

Redação 24 Horas News / | 22/06/2019 15:02:18

Sequestrado pelo “rei do jogo do bicho” no Mato Grosso, coloradense de 37 anos conta como escapou da morte

De volta a Vilhena (RO), Flávio Pilz resolveu dar detalhes sobre uma reportagem recente do Folha do Sul Online que envolveu seu nome: o sequestro do qual foi vítima, em Mato Grosso, e que teria sido ordenado pelo “comendador” João Arcanjo Ribeiro, que domina o jogo do bicho no Estado vizinho.

Flávio, que tem 37 anos, contou que havia chegado à cidade Juara (a 730 km de Cuiabá), a fim de “abrir uma praça” de jogo do bicho para um grupo de Goiânia, rival de João Arcanjo.

Quando ia para o hotel, Pilz foi seqüestrado por dois homens e jogado dentro de um carro, mas uma cambista que trabalhava com ele viu a ação e entrou em contato com os bicheiros goianos, patrões da vítima, naquele estado, Goiás, a família Cachoeira domina a contraversão.

Segundo Flávio, os seqüestradores avisaram que iriam levá-lo para Sinop (norte a 505 km da capital), mas acabaram entrando numa fazenda. Ele acredita que a ordem era para que fosse assassinado e seu corpo desovado na propriedade rural.

Antes da execução, porém, os seqüestradores receberam uma mensagem através do celular e, antes de soltá-lo, disseram: “mudança de planos”. Ele acredita que seus patrões goianos avisaram aos concorrentes mato-grossenses que iria haver retaliação se o crime fosse consumado.

O entrevistado lembrou, na entrevista ao site, concedida na manhã deste sábado, 22, que após ser libertado, teve que andar cerca de 30 km a pé. Reconciliado na igreja evangélica que frequentava, até deu graças a Deus pela tecnologia do Mato Grosso: “Se tivessem me levado para uma fazenda sem torre de celular, não teriam recebido a mensagem e eu estariam morto”.

MATO GROSSO DOMINADO

João Arcanjo Ribeiro, conhecido como “Comendador”, é acusado de liderar o crime organizado em Mato Grosso, nas décadas de 80 e 90, sendo o maior “bicheiro” do Estado, além de estar envolvido com a sonegação de milhares de Reais em impostos, entre outros crimes.

No ano de 2002, Arcanjo foi alvo da operação da Polícia Federal, Arca de Noé, em que teve o mandado de prisão preventiva expedido pelos crimes de contravenção penal, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e homicídio. A prisão do bicheiro foi cumprida em abril de 2003 no Uruguai. Arcanjo conseguiu a progressão de pena do regime fechado para o semiaberto em fevereiro de 2018, após 15 anos preso.