Índice que reajusta preço do aluguel tem alta de 0,47% em setembro, aponta FGV

| 28/09/2017 12:05:06

Segundo levantamento, acumulado entre janeiro e setembro, IGP-M tem recuo de 2,10%; no intervalo dos últimos 12 meses, retração é de 1,45%

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), responsável por fazer reajustes nos contratos imobiliários , registrou avanço de 0,47% em setembro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). No mês anterior, a variação foi de 0,10% e no mesmo período do ano passado de 0,20%.

Entre janeiro e setembro, a taxa tem recuo de 2,10%. No acumulado para os últimos 12 meses, a baixa é de 1,45%. Segundo a  FGV , o resultado foi influenciado pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), voltado ao setor atacadista, que apresentou alta de 0,74% no mês. Em agosto, houve redução de 0,05%. Em relação ao índice relativo aos  bens finais , a taxa foi de 0,02% em setembro, frente a retração de 0,85% do mês anterior.

Índice medido pela FGV em setembro foi influenciado, principalmente, pelo indicador de preços do setor atacadista
iStock
Índice medido pela FGV em setembro foi influenciado, principalmente, pelo indicador de preços do setor atacadista

O subgrupo combustíveis para o consumo foi um dos responsáveis para a aceleração mensal, ao passar de 0,24% para 6,11%. Com a exclusão dos subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, o índice de bens finais registrou variação negativa de 0,05%, frente à baixa de 0,58% de agosto.

Já o índice relativo ao grupo bens intermediários  teve alta de 0,62%, frente a queda de 0,08% em agosto. O subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção foi apontado como o principal responsável, uma vez que passou de 1,58%, em agosto, para 4,98%, em setembro. Calculado sem o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, o índice de bens intermediários recuou de 0,02% para 0,32% entre os dois meses.

No período inicial da produção, o índice do grupo matérias-primas brutas apresentou uma elevação de 1,81%. Em agosto, a alta havia sido de 1,04%. Os itens bovinos, ao passarem de 0,12% para 8,89%, milho em grão, de -2,48% para 6,63%, e soja em grão, de -1,75% para -0,06%, foram os principais responsáveis para o resultado. Em contrapartida, minério de ferro, café e leite in natura se destacaram por suas quedas, ao passarem de 11,65%, 3,64% e -4,15%, para 7,88%, -2,32% e -7,19%, respectivamente.

Outros índices

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) caiu para 0,09% em setembro, ante 0,33% em agosto. Seis das oito classes de despesa que integram o indicador registraram queda, sendo o grupo habitação o principal destaque, ao passar de 0,53% para -0,24%. Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento de preços de tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa caiu de 2,88% para -1,73%.

Também recuaram os seguintes grupos: transportes (de 1,70% para 0,56%), alimentação (de 0,47% para -0,82%0, saúde e cuidados pessoais (de 0,34% para 0,26%), comunicação (de 0,26% para -0,08%) e despesas diversas (de 0,13% para 0,11%). Nestas classes de despesa, destacaram-se: gasolina (de 8,50% para 2,68%), hortaliça e legumes (de -2,82% para -11,41%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,09% para -0,31%), tarifa de telefone móvel (de 0,41% para -0,18%) e alimentos para animais domésticos (de 1,22% para -0,66%).

Por outro lado, os grupos educação (de 0,03% para 0,52%) e vestuário (de -0,28% para 0,11%) apresentaram alta. Itens como passagens aéreas, cuja taxa passou de -2,07% para 12,81%, e roupas, de -0,49% para 0,18%, influenciaram positivamente o resultado.

O levantamento da FGV indica, ainda, que, no mesmo período, o  Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou alta de 0,14%. No mês anterior, o crescimento havia sido de 0,40%. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços também cresceu em 0,37%. Em agosto, a alta havia sido de 0,20%. O índice relativo ao custo da mão de obra, por outro lado, registrou queda de 0,04%, frente ao avanço de 0,56% do mês anterior.