VOTAÇÃO NA ALDEIA

Índios chegaram a cercar local de votação com arco e flecha, em Brasnorte

Redação 24 Horas News | 07/10/2018 11:29:43

Segundo o juiz auxiliar do TRE, Lídio Modesto, em Guarantã do Norte um líder indígena da etnia Kayapó foi preso com 70 títulos eleitorais. Ele queria votar em nome de todos os índios da aldeia. “Ele causou um grande transtorno no local”, revelou.

Pelo menos 16 pessoas já foram presas neste domingo de eleição em Mato Grosso.Segundo os dados registrados pelo Tribunal Regional Eleitoral – TRE-MT, as prisões aconteceram em vários locais do estado, a maioria de cabos eleitorais que jogavam “santinhos” em locais de votação. Um indígena foi preso com flechas e 70 títulos eleitorais.

Segundo o juiz auxiliar do TRE, Lídio Modesto, em Guarantã do Norte um líder indígena da etnia Kayapó foi preso com 70 títulos eleitorais. Ele queria votar em nome de todos os índios da aldeia. “Ele causou um grande transtorno no local”, revelou.

Em Brasnorte também houve problemas com indígenas e soldados do Exército Brasileiro precisam atuar em uma seção, pois os indígenas estavam armados de arco e flechas.

“Eles eram contrários a realização da votação na tribo, pois preferiam que o ato fosse realizado na cidade”, disse o juiz que explicou que que, apesar do clima tenso, por decisão do pleno a votação está sendo realizada na comunidade indígena.

Um candidato foi preso em Araputanga. Um fiscal foi detido embriagado dentro da seção eleitoral, em Primavera do Leste. Na cidade, também foi preso um candidato por transporte irregular de eleitores.

Pessoas praticando boca de urna foram detidas. Apreensão de santinhos e dinheiro vinculado ao material foram realizadas em todo o estado. Pessoas que ofereciam entre R$ 50 a R$ 300 em troca de votos também foram presas.


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News