Marco Aurélio nega pedido para derrubar execução antecipada de pena

Estadão Conteúdo | 14/08/2019 23:00:07

Ministro do STF afirmou, em ação proposta pelo PCdoB, que não poderia decidir sozinho para derrubar prisão em 2ª instância

Igo Estrela/Metrópoles

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um pedido do PCdoB para derrubar a execução antecipada de pena. Marco Aurélio é o relator de três ações que tratam da possibilidade de prisão após a condenação em segunda instância, que ainda não tiveram o mérito analisado pelo plenário do STF.

Conforme informou o jornal O Estado de S.Paulo em junho, o presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, vai marcar para este semestre o julgamento sobre a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, um dos pilares da Operação Lava Jato. A discussão foi reaberta em um momento de enfraquecimento do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que defende a execução antecipada de pena como forma de combater a corrupção e a impunidade.

JustiçaToffoli vai recolocar prisão após 2ª instância na pauta do SupremoPresidente da Corte recebe pedido da OAB para ‘imediata’ discussão do tema

Jornalista: Estadão Conteúdo