MANÍACO

Mulher descobre que era estuprada e filmada pelo marido enquanto dormia

Catrina ainda contou que frequentemente se sentia cansada pela manhã apesar de sempre dormir cedo

Rede tv | 07/09/2017 07:58:32
Foto: Reprodução

Recém-casada e mãe de quatro crianças, a inglesa Catrina Young, de 28 anos, descobriu que estava sendo drogada pelo parceiro, Christopher Lander, de 28, e estuprada enquanto dormia.

Juntos há três anos, mas casados há apenas vinte dias, os dois foram surpreendidos quando a polícia apareceu na residência, em Ipswich (Inglaterra), para prender Christopher por suspeita de pedofilia por conta do download de imagens indecentes de crianças.

Dias depois, os policiais voltaram à residência do casal para questionar Catrina se eles alguma vez haviam feito brincadeiras sexuais em que ela fingia estar morta. Ela negou e, então, os policiais revelaram que o homem mantinha vídeos de abusos cometidos por ele enquanto ela estava inconsciente na cama.

"Não pude acreditar, fiquei revoltada", afirma ela em entrevista ao The Sun. "Eu tive muito nojo em pensar que ele pôde fazer isso e não entendi comoe ele conseguiu. Ainda não sei, para ser sincera, mas encontrei sedativos no armário e acho que ele os usou comigo".

Catrina ainda contou que frequentemente se sentia cansada pela manhã apesar de sempre dormir cedo, mas não sabia o motivo e jamais suspeitou de Christopher. "Eu tinha razões para acreditar que ele era tão perfeito quanto parecia", declarou ela. "Quando tivemos nosso filho, ele parecia ser o pai perfeito: tinha orgulho dele, ajudava a alimentá-lo durante a madrugada, trocava fraldas e ajudava o tempo todo ao mesmo tempo que se empenhava com meus outros filhos".

Por achá-lo tão boa pessoa, ela custou a acreditar nas acusações feitas no momento da prisão: "Ele não me olhava nos olhos enquanto os policiais me contavam o que havia acontecido. Minhas pernas tremiam, mas ainda assim eu não acreditava. Eu me senti mal, completamente doente. Ele me fazia sentir segura - nós até discutimos sobre o quanto odiávamos pedófilos e ele era um".

Julgado em maio de 2016, Christopher foi condenado a 12 anos de prisão por vários casos de estupro, incluindo o abuso sexual de uma menina de 12 anos (que ele ameaçou de morte com uma faca), além de registrar imagens incedentes de crianças.

Catrina promete que não deixará o homem ter contado com o filho quando ele sair da prisão: "Não posso nem pensar que ele irá querer ver nosso filho. Não quero mais vê-lo perto de nós - ele não merece. Esse homem não é um pai, ele é a maldade em pessoa".


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News