O que deve ser observado em caso de pancadas na cabeça?

Paula Filizola | 25/06/2019 05:35:03

Após quedas ou acidentes, crianças devem ser observadas por pelo menos 12 horas para assegurar que não houve traumatismo craniano

STEVE DEBENPORT, GETTY IMAGES

O traumatismo craniano é uma lesão na cabeça que pode afetar apenas o crânio, no caso de fraturas, ou provocar danos no cérebro, como uma contusão ou um coágulo sanguíneo. Neste fim de semana, Benício, filho de 11 anos dos apresentadores Luciano Huck e Angélica, sofreu um acidente em que a prancha de wakeboard bateu na cabeça dele. O menino precisou passar por uma cirurgia e, agora, está em recuperação.

A estrutura do crânio tem como objetivo proteger o cérebro de pancadas externas moderadas, como uma cabeçada ou uma queda branda. Se o acidente for mais sério, o episódio pode resultar em lesões cerebrais que precisam ser tratadas o mais rápido possível. No caso de idosos ou crianças, o traumatismo pode acontecer até mesmo em quedas simples. Dependendo da causa e da gravidade, o indivíduo pode ficar com sequelas, como coma, epilepsia, paraplegia ou cegueira.

Os sintomas mais comuns de um traumatismo craniano são sangramentos na cabeça ou no rosto – pelo nariz ou ouvidos, desmaio, dores de cabeça intensas, manchas roxas, pupilas de tamanhos diferentes, fala alterada, perda de equilíbrio e, em alguns casos, perda de memória. Nem sempre, entretanto, os sintomas são instantâneos, por isso, após uma queda ou acidente, é muito importante observar a vítima por pelo menos 12 horas.

Nas crianças, os sintomas de traumatismo craniano podem incluir também choro persistente, recusa para comer e depressões na cabeça. O diagnóstico deve ser feito por um neurologista e inclui exames como tomografia ou ressonância magnética para detectar se existem danos no cérebro ou fraturas no crânio.

(Com informações do portal Tua Saúde)

Jornalista: Paula Filizola