Pela segunda vez, Rússia envia aviões de guerra para a Venezuela

Metrópoles | 25/03/2019 09:40:09

Os europeus já haviam mandado aeronaves em dezembro para manobras conjuntas e “preparar a defesa do país caso seja necessário”

A Força Aérea da Rússia enviou, na noite de sábado (23/3), dois aviões com tropas para a Venezuela. Desembarcaram das aeronaves um oficial russo do Ministério da Defesa e cerca de 100 tropas. As informações são da agência Reuters.

É a segunda vez que a Rússia manda aviões para o país sul-americano. Em dezembro, dois bombardeiros com capacidade nuclear foram enviados para realizar exercícios militares a fim de preparar a Venezuela “caso seja necessário”.

Os aviões saíram da Rússia na sexta-feira (21) e um outro deixou o aeroporto de Caracas em direção ao país de Vladimir Putin neste domingo (24). As movimentações foram registradas por sites que monitoram voos.

Segundo o jornalista venezuelano Javier Mayorca, 99 militares russos desembarcaram no aeroporto de Maiquetía, em Caracas, a pedido do general Vasily Tonkoshkurov, e foram recebidos por Marianny Mata, diretora-geral de Integração e Assuntos Internacionais da Venezuela.

Ainda segundo Mayorca, um outro avião, carregado com 35 toneladas de materiais, vindo da Rússia, pousou no terminal cargueiro do aeroporto. A bagagem pertence ao contingente russo que desembarcou pouco antes.

Desde o fim de janeiro, após o opositor Juan Guaidó se autoproclamar presidente interino da Venezuela, há tensão sobre uma possível ação militar coordenada pelos Estados Unidos para derrubar o presidente Nicolas Maduro. No dia 22 de fevereiro, a Rússia acusou os norte-americanos de usar a ajuda humanitária enviada como  “um pretexto para uma ação militar” para derrubar o presidente Nicolás Maduro.

A Rússia não reconheceu Juan Guaidó como presidente legítimo da Venezuela, assim como México, Cuba, Colômbia, Nicarágua, China, Turquia e Coreia do Norte. Já o Brasil, Estados Unidos e outros mais de 30 países, demonstraram apoio ao opositor de Maduro.

Jornalista: Da Redação