Piñera diz que frases de Bolsonaro sobre ditadura são “infelizes”

Metrópoles | 25/03/2019 09:40:10

Presidente do Chile se distanciou das declarações a respeito das ditaduras latino-americanas: “Não compartilho muito do que Bolsonaro fala”

O presidente chileno, Sebastián Piñera, disse neste domingo (24/3) que as declarações de Jair Bolsonaro (PSL) sobre a ditadura naquele país foram “tremendamente infelizes”. Piñera elogiou o chefe de Estado brasileiro, mas disse que não concorda com as declarações dele a respeito dos períodos ditatoriais nos países latino-americanos. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Bolsonaro já elogiou abertamente a ditadura do general chileno Augusto Pinochet, que comandou o país de 1973 a 1990. Mais de 3 mil pessoas foram mortas durante o regime militar que o levou ao poder. O presidente do Brasil afirmou, no decorrer de uma entrevista em 2015 – época em que ainda era parlamentar –, que Pinochet “devia ter matado mais gente”. Quando ainda deputado federal, Bolsonaro também enviou um telegrama ao filho do general, referindo-se ao ditador como “saudoso”.

Piñera citou, como exemplo, uma frase que estampava um cartaz que ficou anos fixado no gabinete do deputado: “Quem procura osso é cachorro”. A imagem ironizava a busca por desaparecidos da guerrilha do Araguaia, na década de 1970. O “slogan” apareceu em mensagens de protestos contra a presença de Bolsonaro no Chile.

O presidente chileno disse que declarações como essa “são tremendamente infelizes”. “Não compartilho muito do que Bolsonaro diz sobre o tema”, completou.

Jornalista: Da Redação