Planejamento reprodutivo é um dos eixos da Atenção Integral à Saúde da Mulher

| 25/03/2019 15:00:20

Municípios do Estado recebem incentivo financeiro para realizar o serviço de pré-natal e a compra do teste rápido de gravidez.

Instituída pelo Ministério da Saúde e reformulada em 2004, a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher é amplamente desenvolvida pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) em Mato Grosso. Dentre as frentes de atuação estipuladas pelo programa, está a oferta dos serviços voltados para o planejamento reprodutivo.

Coordenadora de Ações Programáticas Estratégicas (Coapre), da Superintendência de Atenção à Saúde da SES-MT, Aline Régia explica que todos os municípios do Estado recebem incentivo financeiro para realizar o serviço de pré-natal e a compra do teste rápido de gravidez, por exemplo. “Cada município tem autonomia para organizar o seu fluxo de atendimento de acordo com a sua rede de atenção à saúde da mulher”, esclareceu.

Além disso, existe acesso ao planejamento reprodutivo, com procedimentos de laqueadura, vasectomia, inserção do Dispositivo Intra-Uterino (DIU), distribuição regular de pílula combinada, minipílula, pílula de emergência, injetável mensal e trimestral. As mulheres também contam com o Serviço de Atenção Especializado em 20 Centros de Testagem e Aconselhamento para a realização de testes que detectam o HIV, a sífilis e hepatite.

DiuCobre

Entre os métodos contraceptivos disponíveis estão Dispositivo Intra-Uterino - DIU (na foto), pílula combinada, minipílula, pílula de emergência, injetável mensal e trimestral. Fonte: Ministério da Saúde

A coordenadora ainda explica que, em casos de violência sexual, a vítima não precisa de um Boletim de Ocorrência para ser atendida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Nestes casos, a orientação é procurar imediatamente qualquer unidade de saúde pública ou privada – inclusive UPA’s e Policlínicas – para receber os tratamentos preventivos de doenças sexualmente transmissíveis e vírus ou pílula de emergência.

Na Capital, o Hospital Universitário Júlio Müller atende a esse tipo de situação em até 72 horas após a ocorrência do crime de violência sexual, passado este período, a vítima poderá ser atendida em qualquer outra unidade de saúde.

Mulheres vítimas de violência sexual podem dispor, em casos autorizados pela lei, do serviço de interrupção à gravidez. O procedimento é realizado nas seguintes unidades hospitalares credenciadas: Hospital Universitário Júlio Müller, em Cuiabá; no Hospital Santa Casa de Rondonópolis; no Hospital Municipal de Juína e no Hospital Municipal de Barra do Garças.