CASO DANILO CAMPOS

Polícia identifica casal acusado de envolvimento na execução com 5 tiros de Danilo Campos

Segundo as investigações, o casal mora em Várzea Grande (Grande Cuiabá). Em depoimento à Polícia, a mulher negou qualquer tipo de relação, principalmente amorosa com Danilo Campos

Trindade/Redação 24 Horas News | 14/11/2017 14:27:11
Foto: Reprodução - O jovem personal trainer Danilo Nascimento de Souza Campos executado com cinco tiros em Cuiabá

CASO DANILO CAMPOS - A mulher casada, apontada nas investigações como “pivô” da execução do personal  trainer Danilo Nascimento de Souza Campos de 28 anos, e o marido dela, apontado como mandante já foram identificados nas investigações da delegada Alana Cardoso, da equipe de investigações Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). A mulher nega qualquer envolvimento com Danilo Campos.

Segundo as investigações, o casal mora em Várzea Grande (Grande Cuiabá). Em depoimento à Polícia, a mulher negou qualquer tipo de relação, principalmente amorosa com Danilo Campos.

Já o acusado de ser o mandante do crime, ainda não foi ouvido pela Polícia. Ele teria passagens pela Polícia em crimes de estelionato e violência doméstica. Os nomes do casal, no entanto, ainda não foi revelado pela Polícia.

Primeiro, segundo uma fonte da DHPP informou à reportagem do Portal de Notícias 24 Horas News, a Polícia quer chegar aos dois pistoleiros - assassinos pagos para matar -, e para não atrapalhar as investigações.

A EXECUÇÃO – O personal  trainer Danilo Campos foi executado com cinco tiros à queima-roupa por volta das 21h55 da noite desta quarta-feira, 8, quando saia da Academia Samrt Fit, no Jardim Cuiabá, área central da Capital.

Danilo Campos, filho de um vereador de Várzea Grande, foi executado por dois homens que chegaram ao local em uma moto de capacete. O que estava na garupa é o autor dos disparam contra Danilo, que morreu dentro do carro dele.

As investigações que a Polícia recebeu um dia após o crime, é que Danilo Campos estava sendo ameaçado de morte pelo  marido de uma aluna dele. As ameaças, segundo a Polícia, teriam sido feitas através de  mensagens e telefonemas.

 


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News