CADEIA NELES

Polícia prende menor que atirou em dentista e desmente versão de corretor, também já preso

Trindade/Redação 24 Horas News | 28/07/2017 03:31:54

Além de confessar ser o autor do tiro, GAROTO ainda desmente André e entrega terceiro latrocida ainda foragido

Foto: Divulgação

CADEIA NELES - Em tempo recorde, policiais da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (Drrfv) mandam para as grades, dois, dos três envolvidos no latrocínio: roubo seguido de morte do dentista João Bosco Ribeiro, de 62 anos e ainda identifica o terceiro latrocida: bandido que mata para roubar. O ladrão que atirou na vítima foi o “garoto”. H.S.S, de 16 anos. Le foi preso na tarde desta quinta-feira, 27, na casa dele, no bairro Poção, em Cuiabá.

 Além de confessar ser o autor do único tiro no tórax que matou João Bosco, o “garoto” ainda desmentiu a versão do comparsa, o corretor de imóveis André Amorim, que alegou ter sido assaltado e obrigado a levar os bandidos até à Rua Europa, no Jardim Tropical, em Cuiabá no final da manhã desta terça-feira, 26, onde o dentista foi baleado e morto.

 O “garoto” H.S.S., afirmou ao ser interrogado aos policiais da Drrfv, que André estava na cena do crime como participante ativo da ação criminosa, onde o carro dele, um Celta branco foi usado para dar apoio na chegada dos bandidos ao local e para a fuga.

 O “garoto” confessou ainda, que só atirou porque a vítima esboçou uma reação, tentando  pegar o revólver da mão dele. João Bosco ainda chegou a ser socorrido por paramédicos do  Samu, mas não resistiu aos ferimentos e morreu logo em seguida no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC). O sepultamento do dentista aconteceu na tarde desta quinta-feira.

 André Amorim, que já havia sido autuado em flagrante em crime de latrocínio, será encaminhado para uma Audiência de Custódia na tarde desta sexta-feira, 28, no Fórum de Cuiabá. Lá ele pode ter o flagrante convertido em prisão preventiva, ou ser liberado para responder processo em liberdade.

 O “garoto”, também autuado em flagrante em crime de latrocínio, vai tomar outro caminho. Será transferido nas próximas horas para o Centro Sócio Educativo, no Complexo Pomeri, em Cuiabá.

 INVESTIGAÇÕES SÉRIAS – As investigações não param. Falta  prender agora o terceiro latrocida. Assim como André Amorim entregou o “garoto”, o “garoto” também entregou e ajudou a Polícia a identificar o terceiro latrocida, que pode ser preso a qualquer momento.

 A ARMA - A Polícia também está atrás da arma do crime, para completar as investigações e materializar ainda mais as acusações contra os três bandidos. Caso os dois adultos sejam condenados, podem pegar até 40 anos de reclusão, enquanto que o “garoto” pode ficar até três anos preso no Pomeri.