RODOVIA TRANCADA

Professores em greve fecham a BR-364, em Cuiabá

Jornalista Jonas Jozino | 25/06/2019 10:38:10

A assessoria do Sintep informou que o trânsito é liberado por 15 minutos e que, em seguida, retomam o bloqueio.

A BR-364, nas proximidades do Sinuelo, no final do perímetro urbano de Cuiabá foi fechada pelos professores e servidores em greve da Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso. A decisão de fechar a rodovia, impedindo o tráfego de caminhões e carretas carregadas, principalmente de soja e algodão para o Sul do país, é em protesto ao governo Mauro Mendes, que na manhã desta terça-feira anunciou que não muda sua decisão de não dar aumento salarial para a categoria, em greve desde 27 de maio.

 Centenas de professores deixaram, em carreata a sede do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso, Sintep-MT, por volta das 7 horas da manhã, levando cadeiras, até o trecho da BR, nas proximidades do Sinuelo, onde colocaram as cadeiras, fechando a estrada nos dois sentidos. Por volta das 10h00 já era intensa a fila de carros, caminhões e carretas na região. Apenas ambulâncias estão autorizadas a passar

 O Sintep informou que o movimento não se restringe apenas a Cuiabá, e que o trancamento da rodovia será estendida a  todas as régios de Mato Grosso. “Vamos parar o escoamento da safra”, anunciou um professor em greve.

 Equipes da concessionária Rota Oeste e agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) já estão no local acompanhando a movimentação e tentando um acordo com os grevistas para que a pista seja liberada no sistema pare e siga, ou seja enquanto uma pista da rodovia é liberada outra fica fechada.

 A decisão de promover atos em rodovias foi tomada em assembleia da categoria realizada na Capital na tarde desta segunda-feira (24).

 O Governo de Mato Grosso afirma que não tem condições financeiras de conceder o reajuste pleiteado e divulgou uma carta aberta pedindo a compreensão dos educadores para que encerrem o movimento grevista.

  O principal impasse é a exigência de reajuste salarial em cumprimento a Lei Estadual 510/2013 que prevê reajuste gradual pelos próximos 10 anos, mas que o governador Mauro Mendes (DEM) afirma não ter qualquer possibilidade de ser cumprida.

 A assessoria do Sintep informou que o trânsito é liberado por 15 minutos e que, em seguida, retomam o bloqueio.