SALÁRIOS EM XEQUE

Sem recursos suficientes em caixa, salários dos servidores estaduais podem atrasar

Redação 24 Horas News | 07/12/2018 09:16:07

O governador Pedro Taques ainda não confirma o escalonamento. Na última quarta-feira ele passou determinação para a Secretaria de Fazenda que faça um esforço grande para cumprir a constituição. Nesta sexta-feira, ele de se reunir com a ala econômica de seu governo para tentar encontrar uma solução .

Nem todos os servidores públicos estaduais de Mato Grosso devem receber seus salários de novembro na próxima segunda-feira, o décimo dia e último, conforme determina a Constituição Estadual, para o cumprimento parte do Governo do pagamento dos salários. Na despedida do cargo o governador Pedro Taques acena com a possibilidade de promover um escalonamento de salários no apagar das luzes de sua administração. Segundo informações colhidas dentro do Palácio Paiaguas a alegação é de que novembro contou com muitos feriados, seguidos, como finados, República e Consciência Negra, além de problemas ocorridas na Sefaz, que acabaram provocando a baixa arrecadação de impostos.

O governador Pedro Taques ainda não confirma o escalonamento. Na última quarta-feira ele passou determinação para a Secretaria de Fazenda que faça um esforço grande para cumprir a constituição. Nesta sexta-feira, ele de se reunir com a ala econômica de seu governo para tentar encontrar uma solução .

O escalonamento, no entanto, é praticamente inevitável. Resta saber de forma vai acontecer. Fontes palacianas dizem que nesta apagar das luzes, o governador poderá determinar, devido a baixa no caixa financeiro do Estado, o pagamento dos salários em quatro vezes, começando pelos menores salário e indo até os maiores e até mesmo por secretárias, deixando as que tem maiores números de servidores como Educação e Saúde por último.

Uma solução emergencial seria o pagamento, por parte da União, dos R$ 400 milhões a que o Estado tem direito do Auxílio Financeiro para o Fomento das Exportações, o FEX. Mas a Fazenda nacional ainda não definiu a data da liberação deste recurso.

Em Brasília fala-se que o FEX será liberado neste mês de dezembro, mas possivelmente na última semana do mês. Se o recurso não sair, o governador eleito Mauro Mendes, que toma posse no dia primeiro de janeiro, deverá começar sua administração já com atraso nos salários.

 

 


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News