BRAÇOS CRUZADOS

Sistema Prisional de Mato Grosso fica paralisado nesta sexta-feira e sábado no Estado

A "greve relâmpago" é prol da PEC 308/04 que trata da criação da Polícia Penal e contra a PEC 287,

Trindade/Redação 24 Horas News | 19/05/2017 12:07:55
Foto Divulgação. Funcionários do Sistema Penitenciário de Mato Grosso cruzam os braços por dois dias no Estado

BRAÇOS CRUZADOS - Começou na manhã desta sexta-feira, 19, uma “greve relâmpago” de 48 horas dos servidores do Sistema Penitenciário de Mato Grosso. A paralisação, presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do estado de Mato Grosso (SINDSPEN-MT), João Batista,  em prol da PEC 308/04 (criação da Polícia Penal) e contra a PEC 287 (reforma da Previdência).

  Neste período de dois dias (sexta-feira e sábado, 20)  estão suspensas todas as atividades, como recebimento de novos presos (exceto de outros Estados), atendimento a Pauta da Justiça (audiências), visitas e até mesmo atendimento aos advogados, inclusive advogados da Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso. 

 Além disso, os agentes deixam de encaminhar presos para audiência de custódia e suspendem também a desinstalação e manutenção de tornozeleiras eletrônicas. Apenas alguns serviços continuam como alvará de soltura, banho de sol, rondas e outros. Apenas 30% do efetivo deve prestar os serviços nas unidades prisionais do Estado. 

 Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do estado de Mato Grosso (SINDSPEN-MT), João Batista, a paralisação de 48 horas é em prol da PEC 308/04 que trata da criação da Polícia Penal e contra a PEC 287, que segundo ele veio para tirar diretos dos trabalhadores principalmente dos servidores penitenciários. O Sindicato reforça que o ato foi deliberado pela Federação Sindical Nacional dos Servidores Penitenciários (FENASPEN). 

 ESTADO DE GREVE - Vale ressaltar que em decisão do Conselho Deliberativo, realizada em Brasília no dia 09 de fevereiro deste ano, ficou deliberado estado de greve permanente da categoria e paralisação nacional de atividades. 

 O Sindicato reforça ainda que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 308/04 sobre a criação da Polícia Penal tramita a mais de uma década na Câmara dos Deputados, porém, ainda não tem previsão para votação da matéria. A medida inclusive é considerada pela FENASPEN, como uma das medidas que devem ser adotadas, prioritariamente, para solucionar problemas relacionados à insegurança existente nas unidades prisionais, com reflexos na Segurança Social. Diante dos fatos, os servidores em Mato Grosso decidiram aderir ao movimento.

 (Com a redação do Diário de Cuiabá).


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News