Sobrinho que arrancou coração de tia é transferido e tenta enforcar reeducando

David Murba | 18/07/2019 09:09:05

Lumar Costa da Silva, de 28 anos, tentou matar um jovem, de 19 anos, enforcado, ontem no final da manhã, após ser transferido

Lucas Torres/arquivo

Lumar Costa da Silva, de 28 anos, tentou matar um jovem, de 19 anos, enforcado, ontem no final da manhã, após ser transferido da cadeia de Sorriso para o presídio Ferrugem em Sinop. As informações foram registradas na delegacia de Polícia Civil por um agente penitenciário, que relatou ter ouvido gritos de socorro, no camburão, e flagrou a tentativa de enforcamento. Não foi informado, no documento policial, o motivo da desavença e por que o jovem está preso.  Não foi informado se Lumar ficará em um setor separado dos demais reeducandos no Ferrugem.

Lumar confessou que matou a sua tia, Maria Zélia da Silva Cosmos, 55 anos, a facadas e arrancou o coração dela, no último dia 2, em Sorriso. Além disso, afirmou não se arrepender do bárbaro crime e admitiu ser usuário de drogas. “Eu matei ela mesmo e não me arrependo de ter matado. Ela mereceu morrer. Ela ficou me difamado, me chamando de ‘viado’ e arrumando confusão. Eu só queria a paz, mas ela ficou insistindo em fazer isso. Tinha tomado LSD (Dietilamida do Ácido Lisérgico) no mesmo dia. Não tinha planejado (o crime). Quando eu tomei (a droga), falei, agora vai. É hora dela morrer. A arma do crime peguei lá mesmo, estava na cozinha”, disse Silva. A versão ainda está sendo investigada e poderá ser confrontada com depoimentos de familiares.

Ele foi autuado por homicídio qualificado por motivo fútil e pode pegar pena de 12 a 30 anos de reclusão, O brutal assassinato foi em uma residência na rua Rio Negro, no bairro Vila Bela. A filha de Maria disse que ele apareceu em sua casa, no mesmo bairro, com o coração de Maria em uma sacola plástica, confessando o assassinato. Em seguida, furtou o veículo Citröen e fugiu. A filha disse que foi até a residência da mãe e a encontrou morta.

O delegado de Polícia Civil em Sorriso, André Ribeiro, que ouviu depoimento de Lumar um dia após o crime, disse que “é um monstro este cara, um animal”. A justiça decretou a prisão dele.

Fonte: Só Notícias