Tesouro Direto tem saldo positivo de resgates pelo segundo mês consecutivo

Segundo balanço divulgado nesta sexta-feira, vendas de títulos em setembro chegaram a R$ 1,358 bilhão, enquanto resgates atingiram R$ 1,845 bilhão

| 20/10/2017 16:35:05

Brasil Econômico

Cerca de 18,3% dos investimentos no Tesouro Direto foram feitos em títulos com vencimentos acima de 10 anos
shutterstock
Cerca de 18,3% dos investimentos no Tesouro Direto foram feitos em títulos com vencimentos acima de 10 anos

Pelo segundo mês consecutivo, o Tesouro Direto registrou resgate líquido, o que significa que foram feitas mais recompras de títulos do que emissões. De acordo com o balanço divulgado nesta sexta-feira (20), as vendas de títulos em setembro chegaram a R$ 1,358 bilhão, enquanto os resgatesatingiram R$ 1,845 bilhão. Como resultado, o resgate líquido ficou em R$ 486,6 milhões.

Leia também: Ministro diz que privatização da Elerobras trará eficiência à empresa; veja

Levando em consideração o acréscimo no número de investidores que efetivamente têm aplicações no Tesouro Direto , o resultado do período foi de 10.390. Com isso, o número de investidores ativos atingiu o recorde de 541.851. O acréscimo mensal de investidores cadastrados foi de 60.278, totalizando recorde de 1.662.449 participantes inscritos, o que representa aumento de 70,7% nos últimos 12 meses.

No que diz respeito às aplicações de até R$ 1 mil, estes investimentos representaram cerca de 56% dos que foram realizados, com aumento de 27,4% em relação a setembro de 2016. O título mais demandado pelos investidores foi o indexado à taxa Selic (Tesouro Selic), cuja participação no volume total de investimentos atingiu 54,2%, no valor de R$ 735,9 milhões.

Leia também: Especialista em segurança dá dicas para quem vai sacar o PIS/Pasep

Já em relação ao prazo, 18,3% dos investimentos foram feitos em títulos com vencimentos acima de 10 anos. As aplicações em títulos com prazo entre cinco e 10 anos representaram 78,3% do total e as com prazo entre um e cinco anos, 3,4%.

Estoque

O Tesouro fechou o mês de setembro com R$ 47,6 bilhões em seu estoque, o que representa uma redução de 0,1% em relação ao mês anterior (R$ 47,7 bilhões) e aumento de 30% sobre setembro de 2016 (R$ 36,6 bilhões).

A maior parte do volume do estoque diz respeito aos títulos remunerados por índices de preços, que  alcançaram R$ 29,2 bilhões (61,2% do total). Na sequência, aparecem os títulos indexados à taxa Selic, com participação de 22,2%, e os prefixados, com 16,6%.

Leia também: Aumento nas passagens aéreas torna comparadores de preços boas opções

Cerca de 43,6% do saldo do Tesouro Direto é composto por títulos com vencimento entre um e cinco anos. Os títulos com prazo entre cinco e 10 anos correspondem a 34,6% do total, e os com vencimento acima de 10 anos, a 17,6%. A parcela com vencimento em até um ano (4,3%) é a menor desde dezembro de 2015.

*Com informações da Agência Brasil


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News